17 de fevereiro, de 2021 | 11:09

Relembrando o cangaço

Mandacaru, uma novela com a cara do Brasil

A novela Mandacaru foi originalmente produzida e exibida pela extinta Rede Manchete, nos anos 1990. Escrita pelo dramaturgo mineiro Carlos Alberto Ratton (nascido em Divinópolis), “Mandacaru” tinha como pano de fundo o cangaço e retratou um dos períodos mais sangrentos da história do Brasil, através de personagens fictícios inseridos na realidade histórica.

A história da novela foi ambientada na fictícia cidade de Jatobá, no violento sertão de 1938, ano em que Lampião foi assassinado. E apresentou ao telespectador o universo nordestino sob a ótica dos cangaceiros, fazendo um resgate histórico da região quando a repressão do Estado Novo de Getúlio Vargas anunciava o fim do cangaço.

Arquivo GB Imagem
Murilo Rosa, Carla Regina e Victor Wagner protagonizaram trama produzida e exibida originalmente pela Rede Manchete e reprisada pela BandMurilo Rosa, Carla Regina e Victor Wagner protagonizaram trama produzida e exibida originalmente pela Rede Manchete e reprisada pela Band
Logo na primeira cena, a reconstituição da morte de Lampião (Alceu Valença) e Maria Bonita (Daniela Mercury) foi gravada em película de cinema em preto e branco pelo diretor Walter Avancini, com ares de documentário de época.

A adoção do nome “Mandacaru” foi por causa de uma planta do sertão nordestino que resiste às mais duras secas. Várias cenas mostravam o fogo cruzado entre os rebeldes e a volante, como eram chamados os grupos policiais que perseguiam os cangaceiros,

A trama ocorre paralelamente ao triângulo amoroso entre o perigoso Tirana (Victor Wagner), que luta de todas as formas para manter vivo o sonho do cangaço, a bela Juliana (Carla Regina), a filha de Honorato (Jonas Mello), um coronel da região de Jatobá, e Aquiles (Murilo Rosa), um tenente disposto a tudo para acabar com o banditismo no interior do Nordeste.

A trama mostrou um universo diversificado: a questão da terra, a repressão policial, os coronéis que não queriam saber de quaisquer mudanças na dura realidade do povo local, o sertanejo sofrendo com a miséria e o banditismo tentando sobreviver.

Além disso, “Mandacaru” era eivada de superstições, sexo e misticismo, e não desperdiçava a oportunidade de explorar as crendices do folclore nordestino.

A Rede Bandeirantes de TV reprisou o folhetim em 2006, em 220 capítulos, abrindo um segundo horário de novelas, ou seja, às 22h. Na TV Manchete, Mandacaru foi ao ar de 12 de agosto de 1997 a 8 de agosto de 1998, no horário das 21h30.

A novela foi inspirada no romance "Dente de Ouro", do escritor paulistano Menotti Del Picchia, sendo inicialmente escrita por Carlos Alberto Ratton, substituído posteriormente pela equipe liderada por Calixto de Inhamuns e Douglas Salgado, e com as colaborações de Gregório Bacic, Clóvis Levy, Zeno Wilde, Tairone Feitosa e Yoya Wursch.

A trama original teve 259 capítulos. No elenco estavam, entre outros, Ângela Leal, Roberto Dumont, Marília Pêra e Agildo Ribeiro.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário