16 de fevereiro, de 2021 | 13:28

Ideias têm consequências

Wanderson R. Monteiro *

Vivemos em uma época em que os meios de comunicação de massa dão a oportunidade para que todos tenham o poder de fala, podendo expressar suas ideias e dar suas opiniões. Fazendo uso desse espaço, muitos são os que estão propagando suas ideias e opiniões sem se importarem com as consequências de suas falas e ideias.

Qualquer pessoa que se atreva a propor qualquer tipo de ideia deve saber que as ideias têm consequências. Não importa o valor, a importância, nem a abrangência das ideias propostas: todo e qualquer tipo de ideia terá consequências, tanto para o bem quanto para o mal.

Se uma ideia de pouco "valor" e abrangência já pode trazer grandes problemas e consequências, imagine, então, as grandes ideias que, por sua abrangência e importância, podem mudar os rumos da humanidade e transformar todo o mundo ao serem conhecidas e postas em prática. Tais ideias podem ter a capacidade de fazer um cisma entre a sociedade antes e depois delas, tendo em si o poder de mudar as concepções de todas as pessoas do mundo. Assim foram as ideias de Dante Alighieri, escritor e político que mudaram os rumos do mundo.

Dante, ao escrever seu "Monarquia", tinha objetivos claros: mostrar para o clero, e para todos, que os governos seculares não dependiam da bênção da "igreja", que o papa e o clero não tinham autoridade sobre os governos seculares, coisa que, em seu tempo, era amplamente propagado e explorado pela igreja.

Utilizando de alguns versículos bíblicos, - como o famoso "tudo o que ligares na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra será desligado no céu" -, o papa, e o alto clero, haviam tomado para si o "poder" de exaltar e depor reis e governos, de maneira que, ao escrever seu "Monarquia", Dante se dispõe a jogar toda essa mentalidade por terra e, para isso, Dante dá interpretações mais corretas dos versículos utilizados pelo clero, mostrando que eles eram tendenciosos em sua exegese, e mostrando, também, que os governos e impérios terrenos eram permitidos e, até mesmo instituídos, por Deus, e não pelo papado.

Para apoiar suas afirmações, Dante também utiliza de versículos bíblicos, dando interpretações mais fiéis, ao mesmo tempo em que escancara o mau caratismo exegético do clero. Dante também dá exemplos da história dos impérios seculares, como o império romano, que foram profetizados, preparados e, por que não, instituídos por Deus, para melhor ordenação do mundo.

Ao escrever seu "Monarquia", Dante dá o primeiro pontapé para a separação entre Igreja e Estado. E, mesmo sendo cristão e católico, Dante sofreu na pele as consequências de suas opiniões, que eram contrárias ao papado, sendo acusado de corrupção, oposição ao papa e concussão. Mas suas ideias também nos trouxeram, como consequência, a liberdade provinda da separação entre a Religião e o Estado, e Dante sabia muito bem a importância que isso tinha, e o impacto das mudanças que suas ideias trariam, diferentemente de muitos "ideólogos" atuais.

* Bacharel em Teologia pelo ICP. São Sebastião do Anta – MG. [email protected]
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Leitor

16 de fevereiro, 2021 | 17:03

“Confesso que li com interesse esse texto, mas não entendi qual é a proposta da escrita. As generalizações dos primeiros parágrafos me pareceram ser uma certa indireta para algo, que pensei poder ler a seguir, mas não veio. Parece um balão inflado, mas sem conteúdo de verdade. As repetições de Dante, Dante, Dante, também me deixaram curioso a respeito do propósito do texto, que até agora não consegui localizar. Ideias têm consequências, mas hoje aqui na contemporaneidade quais são essas ideias e a quais consequências podemos nos referir? Será que o texto foi uma mistura de uma resenha retirada de algum lugar com uma costura feita despropositadamente? I”

Tião Aranha

16 de fevereiro, 2021 | 14:59

“As injustiça sociais precisam ser denunciadas. A diferença é que as regras antigas e as novas de escravidão continuam sendo recontruidas por indivíduos sem moral que se dizem ser representantes do povo. Atitude essa que acaba com a aliança de união que existe entre Deus e o homem.”

Envie seu Comentário