05 de janeiro, de 2021 | 21:00

Covid-19: país registra 56,6 mil casos e 1,1 mortes em 24 horas

Segundo dados do Ministério da Saúde esse foi o segundo maior registro de óbitos desde setembro

Jonas Valente – Repórter Agência Brasil
Divulgação MS
O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 6.963.407O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 6.963.407

O Brasil registrou 56.648 novos casos de covid-19 e 1.171 novas mortes pela doença em 24 horas. Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite de terça-feira (5) e se referem aos registros feitos desde o boletim de ontem.

O número de novos óbitos foi o segundo maior desde o início de setembro, perdendo apenas para o dia 30 de dezembro, quando foram registradas 1.194 novos falecimentos em decorrência do novo coronavírus

Com as novas mortes, as vidas perdidas para a pandemia subiram para 197.732. Ontem, os dados do Ministério da Saúde sobre a doença traziam 196.561 óbitos. Ainda há 2.550 falecimentos em investigação.

Com os novos casos acrescidos às estatísticas, o total de pessoas infectadas desde o início da pandemia foi para 7.810.400. Até ontem, o sistema do Ministério da Saúde com dados sobre a pandemia marcava 7.753.752 diagnósticos de covid-19 ao longo da pandemia.

Conforme o painel do Ministério da Saúde, há ainda 649.261 casos ativos em acompanhamento. O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 6.963.407.

Em geral, os registros de casos e mortes são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação dos dados pelas secretarias de saúde aos fins de semana. Já às terças-feiras, os totais tendem a ser maiores pelo acúmulo das informações de fim de semana que são enviadas ao Ministério da Saúde. No caso desta semana, pode ser acrescido o feriado do dia 1o, que caiu na sexta-feira.

Estados

No topo da lista dos estados com mais mortes por covid-19 estão São Paulo (47.222), Rio de Janeiro (25.837), Minas Gerais (12.083), Ceará (10.042) e Pernambuco (9.709). Já entre os últimos no ranking estão Roraima (798), Acre (808), Amapá (943), Tocantins (1.248) e Rondônia (1.852).

Veja também:
Números da pandemia de covid-19 no Vale do Aço
Bolsonaro anuncia o fim do auxílio emergencial e manda brasileiros 'tocarem a vida'


Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor[email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Ricardo Lopes

04 de janeiro, 2021 | 09:16

“Para quem aglomerou, não teve o menor cuidado, é bom lembrar de alguns protocolos a serem seguidos:
1) Ao menos agora, por uns 10 dias, tente se isolar;
2) Ao sentir os primeiros sintomas, não adianta entrar em pânico, apavorar a família. Tente ficar bem e respirar;
3) Se precisar de atendimento, não adianta reclamar do SUS;
4) Se o atendimento demorar, não adianta xingar as recepcionistas dos hospitais ou fazer barraco; e
5) Se um familiar seu ficar muito doente por sua causa, reze e fique bem quietinho. Não adianta fazer escândalos e atrapalhar o trabalho de quem estava dando duro enquanto você fazia festa.
E lembre-se, você está errado.
Obrigado! De nada!”

Carlos Roberto

04 de janeiro, 2021 | 06:56

“A META É MATAR
Vamos bater 200.00 esta semana, com as festas e a irresponsabilidade dos desonestos, poderemos dobrar este número mais cedo do que se pensava. O governo continua manipulando dados, debochando das mortes, e fazendo da pandemia uma guerra política criminosa. A ele, Bolsonaro, interessa tirar, a qualquer custo, a cabeça dele da guilhotina, a URNA. Ele sabe que já perdeu, que vai apenas cumprir o resto do tempo, rindo, divertindo e brincando sadicamente com a vida de nossa gente. O governo Bolsonaro não está "sonegando" informações sobre a COVID, ele está "SÓ NEGANDO", nega a ciência, nega a vacina, nega a medicina. Ele vive negando as aparências, disfarçando as evidências. É o método político de enganar bobos. Ele disse: "Vamos pra rua na pandemia, tá ok? Pô, que pandemia, malandro? Isso é história da mídia aí pra trancar você dentro de casa, achar que o mundo tá acabando. Pô, é só uma gripezinha, irmão, vai tomá no c... (sic). Peguei, passou. Prefiro morrer tossindo que morrer transando... Quer dizer, prefiro morrer transando que tossindo?. Asneiras de um boçal. Segundo evangélicos, o "Messias" vai fazer um ato de RESSURREIÇÃO COLETIVA via WHATSAPP para minimizar os dados. Ele já está ensaiando o grito: Tirem a pedra... do meu sapato. Idiotas, saiam para fora!, porr...". Também vai convocar um novo jejum, "JEJUM DAS CAUSAS PERDIDAS", é para ver se ele para de perder para o STF, o Senado, a Câmara e a Justiça. Também vai publicar um decreto proibindo seus eleitores de assistirem a Globo ou ler "A Folha de São Paulo". Só podem assistir a Record e ler a "Folha Universal". Outra medida será o lançamento de um novo JOGO, o Jogo de Empurra? empurrando com a barriga, até cair. Também vai criar um novo Ministério, o "Das Negociatas", ele será responsável por dividir os cargos com os aliados na troca de votos, vai colocar lá um PASTOR. Outra medida emergencial será substituir o "Auxílio Emergencial" por um "VALE CAIXÃO", para enterrar as vítimas da gripezinha. O Ministério da Saúde será extinto, no seu lugar vai entrar o Ministério da Cloroquina, o chefe da pasta será o General Pançudo Elo. Outro ministério será o "Ministério da Maquiagem", a pasta vai maquiar dados, informações, notícias para sustentar os 31% que ainda restam de apoio ao presidente. Vai ficar com Edir Macedo. Ele chamou a Globo de funerária, e é. Ela vai fazer o velório do governo Bolsonaro, com direito a pedir música? No Fatástico. O mundo todo vacinando e o governo brasileiro vacilando! Se a Pátria é a nossa mãe gentil, Bolsonaro só pode ser a Suzene Von Richtofen. Bolsonaristas acham estranho os indianos idolatrarem a vaca, no Brasil a moda é idolatrar um jumento, registraram ele com a alcunha de MITO.
Pobre e miserável Bolsonaro! Tão perto dos evangélicos e tão longe de Deus. 2020 deixa uma lição, que poucos vão aprender, VOTAR errado MATA! Pense nisto: "Nunca haverá uma borracha para apagar o passado, mas sempre haverá um lápis para reescrever o futuro!". Fora Bolsonaro! Vamos salvar o Brasil!??????”

Envie seu Comentário