25 de novembro, de 2020 | 10:22

Um palco de ficções e inutilezas

Atores e atrizes brasileiras seguem mostrando sua arte no #EmCasaComSesc

A série Teatro #EmCasaComSesc está em nova fase, com os atores e atrizes ocupando os palcos das unidades do Sesc na capital paulista, além das apresentações feitas nas casas dos artistas.

As exibições seguem ocorrendo às 21h, sem a presença do público e seguindo os protocolos de segurança. A série tem apresentações aos domingos, quartas e sextas-feiras.

Kim Leekyung/Divulgação/ACS SescSP
O Beijo no Asfalto: O Beijo no Asfalto: "fora do paradigma da normalidade"
Nesta quarta-feira (25), o palco do Sesc Santana recebe o espetáculo "O Beijo no Asfalto", adaptação feita por Bruno Perillo, que também dirige a montagem, para o clássico de Nelson Rodrigues. Um atropelamento acontece em plena Praça da Bandeira, no Rio de Janeiro.

Na sua agonia, o homem atropelado, caído no asfalto, pede um beijo a um outro homem que correu em seu auxílio. O beijo acontece, o atropelado morre e a multidão ao redor testemunha a cena.

O fato, considerado "fora do paradigma da normalidade" e que aparenta estar em um plano de percepção divergente do senso comum, traz à tona os vícios e estigmas da sociedade.

Com Anderson Negreiro, Angela Ribeiro, Heitor Goldflus, Lucas Lentini, Mauro Schames, Natalia Gonsales, Rita Pisano, Roberto Audio e Valdir Rivaben. Classificação: 14 anos.

Lígia Jardim/Divulgação/ACS SescSP
Ficção: as motivações internas para uma criação artísticaFicção: as motivações internas para uma criação artística
Nesta sexta-feira (27), os atores Thiago Amaral e Dilson Amaral, da Cia. Hiato, sobem ao palco do Sesc Ipiranga com o espetáculo "Ficção". A obra é uma adaptação de um dos cinco trabalhos que compõem o projeto homônimo da companhia, com montagens independentes, complementares e ressonantes, criadas a partir de relatos e projetos autorais de seus integrantes.

Para esta apresentação, Thiago Amaral propõe a criação de uma ficção como pretexto para reatar laços com seu pai, após anos sem contato. Ao executar o projeto criativo "A Extinção dos Coelhos Selvagens", o ator expõe as motivações de uma criação artística e compartilha com o espectador um momento de grande relevância pessoal. Classificação: 16 anos.

No domingo (29), Bianca Ramoneda e Gabriel Braga Nunes, que roteirizou a peça, apresentam direto do Rio de Janeiro o espetáculo ‘Inutilezas’, com direção de Moacir Chaves. Reunindo textos do poeta Manoel de Barros (1916-2014), a montagem conta a possível história das memórias de um casal de irmãos que passou a infância num lugar chamado ‘lacuna de gente’.

Marco Terranova/Divulgação/ACS SescSP
Inutilezas: um jogo de cena que aposta na força da palavraInutilezas: um jogo de cena que aposta na força da palavra
Protegidos pelo abandono, eles inventaram uma ferramenta de pensar e de brincar e, daquilo que não serve para nada, sua matéria de poesia. A montagem também sugere a história de uma dupla de atores que se reúne para transformar poesia em teatro, num jogo de cena que aposta na força da palavra e no espírito lúdico como potência criadora de outros mundos.

A versão 2020 da montagem - cuja estreia aconteceu há 18 anos - apresenta o reencontro de artistas que precisam experimentar os ‘deslimites’ da cena, agora virtual, por receio de amanhecerem normais. Classificação: 12 anos.

AGENDA:
- Quarta-feira (25) – ‘O Beijo no Asfalto’
- Sexta-feira (27) – ‘Ficção’
- Domingo (29) – ‘Inutilezas’
Saiba mais em Sesc Digital.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário