23 de novembro, de 2020 | 16:56

Subprograma de Proteção e Resgate do Patrimônio Arqueológico é desenvolvido nas obras de duplicação da BR-381

Divulgação Nova 381
Entre os objetivos está o de promover a valorização da arqueologia como uma necessidade para a realização de obras com impacto ambientalEntre os objetivos está o de promover a valorização da arqueologia como uma necessidade para a realização de obras com impacto ambiental

Entre os programas e subprogramas socioambientais desenvolvidos nas obras de duplicação da BR-381 em Minas Gerais, o Subprograma de Proteção e Resgate do Patrimônio Arqueológico trata de estudar as características e funcionalidades do material recuperado nos sítios arqueológicos já escavados. Além disso, este subprograma promove a integridade desse material, inferindo a densidade demográfica desses sítios encontrados (assentamentos permanentes ou temporários), informa o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Entre os objetivos mais destacados deste subprograma está o de promover a valorização da arqueologia como uma necessidade para a realização de obras com impacto ambiental. Assim, este subprograma trabalha para conscientizar o público, principalmente os trabalhadores do trecho quanto à importância cultural do patrimônio arqueológico para as comunidades. Por meio de palestras e ações diretas, a sensibilização quanto à preservação do patrimônio arqueológico, fazem com que eles sejam, também, agentes que vão identificar e preservar materiais achados no próprio local de trabalho.

Para realizar a proteção e resgate do Patrimônio Arqueológico são realizadas atividades de campo, juntamente com as análises de laboratório. Essas atividades devem fornecer as condições necessárias para explicar o processo de formação do registro arqueológico, e seguir as políticas que estejam em conformidade com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

As atividades referentes ao Subprograma de Proteção e Resgate do Patrimônio Arqueológico foram atendidas e finalizadas em 2019, visto que o resgate arqueológico é um dos primeiros trabalhos feitos em frentes de obras. Quando encontrado, um sítio arqueológico precisa ser removido para que os trabalhos construtivos possam iniciar. Este subprograma faz parte do Programa de Proteção do Patrimônio Cultural do empreendimento.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário