22 de novembro, de 2020 | 08:54

Dicas de Leitura

Boas opções de livros para ler e aprender durante a semana

1 - Poesia Completa
Um dos maiores poetas de língua portuguesa do Século XX, João Cabral de Melo Neto tinha estilo conciso, rigor formal e apurada crítica social. Para ele, o poeta seria como um escultor, que corta incessantemente a pedra até que a escultura surja de dentro dela.

Divulgação/GB Imagens
Sua produção foi reunida em “Poesia Completa”, com os primeiros poemas e seu primeiro livro, “Pedra do Sono” (1940), passando por textos como “O Cão Sem Plumas”, “Morte e Vida Severina”, “A Educação Pela Pedra”, “Museu de Tudo”, “Auto do Frade”, até “Sevilha Andando”, o último livro.

O autor faleceu em 1999, e para comemorar seu centenário, o livro inclui textos póstumos, dispersos e inéditos, organizados por Antonio Carlos Secchin com a colaboração de Edneia Ribeiro. Com 896 páginas, o livro é da Editora Alfaguara.

2 - A Rainha Perdida
Quanto você pagaria para viver em uma sociedade sem fome e violência? Em Aghaia, os moradores foram privados da liberdade, trabalham 14 horas por dia e não podem ultrapassar os muros dos distritos.

A realidade se passa no pós-guerra, em um período marcado por tragédias ambientais e escassez de recursos naturais, e forma a trama de “A Rainha Perdida”, abre uma trilogia da escritora Ana Cristina Melo. Aghaia é governada por Petrus, um rei que mantém um controle cruel sobre todos.

Ellena, jovem nascida no distrito 7, descobre o improvável: a palavra “liberdade” foi abolida do dicionário. A história também se prende em um triângulo amoroso entre Ellena, Lukhas e Reed, os príncipes herdeiros dessa sociedade distópica. O livro tem 368 páginas e é da novel Editora Opala.

3 - O Coração do Rei
Muito foi dito sobre o primeiro imperador do Brasil, mas o que se lê em “O Coração do Rei - A Vida de Dom Pedro I: O Grande Herói Luso-Brasileiro” são facetas pouco conhecidas do jovem impetuoso aos 36 anos.

Divulgação/GB Imagens
Com uma ampla pesquisa em documentos e periódicos de época, a jornalista e escritora Iza Salles retrata um estadista astuto, negociador, gestor, respeitoso filho, pai apaixonado e um defensor das liberdades democráticas. O fio condutor da narrativa é Frei Antônio de Arrábida, religioso que acompanhou Dom Pedro em quase toda a sua vida.

Às vésperas de completar o bicentenário da independência do Brasil – em 2022 –, o livro prenuncia os diferentes eventos comemorativos que terão como marco a reinauguração do Museu do Ipiranga. O livro tem 360 páginas e é da Edições de Janeiro.

4 - Gastura
Não havia Parque Ibirapuera, o bonde ainda corria na Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, os circos estavam na moda e a televisão era a novidade entre os vizinhos, que se reuniam na casa de quem tinha o privilégio de comprar o aparelho.

A cidade de São Paulo dos anos 1950 é mostrada pelo escritor Fernando Machado em “Gastura - Rastreando as Profundezas da Mente”. De memórias cotidianas a fatos históricos, a obra parte da ótica de quem seguiu os principais episódios sociais, políticos, culturais e esportivos das décadas seguintes.

A gastura que intitula a obra expressa tudo o que incomoda e machuca, mas não apagou as memórias de uma época em que o tempo passava em outra velocidade, longe da pressa exacerbada do atual aparato tecnológico. O livro tem 262 páginas e é da Editora Viseu.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário