17 de novembro, de 2020 | 21:00

Brasil registra 35 mil novos casos de covid-19 em 24 horas

Agência Brasil
Djalma Corrêa Pacheco/PME/Divulgação
Exames para detectar contaminação pelo coronavírus são determinantes para o monitoramento dos casos Exames para detectar contaminação pelo coronavírus são determinantes para o monitoramento dos casos

O Brasil registrou nas últimas 24 horas, segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, 35.294 casos confirmados de covid-19 e 685 mortes. Segundo as informações divulgadas pelo ministério, desde o início da pandemia, o país teve 5.911.798 casos confirmados da doença e 166.699 óbitos. O número de recuperados é de 5.361.592.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado na noite de terça-feira (17), há 383.467 casos em acompanhamento. A taxa de incidência da doença por 100 mil habitantes é de 2.813,2 e a letalidade é de 2,8%.

Índice de contaminação disparou

Um dos indicadores que ajuda a definir como o novo coronavírus se espalha voltou a disparar no Brasil. De acordo com o novo levantamento do Imperial College de Londres, a taxa de transmissão (Rt) está em 1,10, ou seja, um grupo de 100 doentes é capaz de infectar outras 110 pessoas saudáveis. O aumento de uma semana para a outra foi exponencial, já que, na avaliação anterior, a Rt estava em 0,68.

O período da elevação da taxa de transmissão coincide com o período da reta final da campanha das eleições municipais, quando mais pessoas foram para as ruas movidas pela disputa eleitoral e depois nas comemorações, no domingo (15)..

Veja também:
Vale do Aço registra outros cinco óbitos por covid-19
Números da pandemia de covid-19 no Vale do Aço

Concentração do índice de mortos

A Região Sudeste é a que concentra o maior número de casos e de mortes, com 2.066.435 e 75.791, respectivamente. Em seguida vem as regiões Nordeste, Sul, Norte e Centro-Oeste. O estado com maior número de casos e de mortes é São Paulo, com 1.178075 casos e 40.748 mortes.

O estado do Rio de Janeiro registrou 330.009 casos desde o início da pandemia de covid-19, em março. Segundo boletim divulgado hoje, a doença resultou na morte de 21.474 pessoas no estado, e 309.941 pessoas se recuperaram.

A capital fluminense soma 127.921 casos e 12.653 mortes confirmadas por covid-19. As outras quatro cidades com mais casos registrados são Niterói (17.122), São Gonçalo (15.369), Belford Roxo (11.278) e Duque de Caxias (11.274). Já em número de mortes, a lista muda de ordem: depois do Rio, os municípios com mais óbitos são Duque de Caxias (808), São Gonçalo (803), Nova Iguaçu (718) e Niterói (538).

Média móvel de mortes

Entre os dias 11 e 16 de novembro, o estado registrou alta na média móvel de mortes por covid-19, que havia chegado ao menor patamar desde o início da pandemia no dia 11, com uma média de 30 vítimas por dia em um período de sete dias.

Segundo o painel de monitoramento da Fundação Oswaldo Cruz, houve, então, cinco dias seguidos de alta, e a média móvel de mortes se elevou para 56,57 casos por dia no período de sete dias encerrado ontem. A alta reverteu a queda que o indicador havia acumulado em novembro e aproximou a média móvel do nível que era registrado no início do mês.

A média móvel de mortes é um indicador considerado importante por pesquisadores para avaliar a tendência da pandemia com menor interferência das oscilações diárias. O cálculo consiste em somar as mortes registradas nas últimas 24 horas com as dos seis dias anteriores, e dividir o resultado por sete.

Taxa de ocupação

Com menos leitos disponíveis que no pico da pandemia, o Sistema Único de Saúde na cidade do Rio de Janeiro estava ontem com pacientes em 79% das vagas de unidade de terapia intensiva (UTI) exclusivas para covid-19. Ocupados por 403 pessoas, esses leitos são das redes municipal, estadual e federal e estão situados na capital, segundo balanço da Secretaria Municipal de Saúde. No domingo, (15), a ocupação era de 80%, com 415 pessoas em UTIs.

Quando contabilizados apenas os leitos da rede municipal, a ocupação chegou 97% no domingo, com 244 pacientes internados em 251 leitos. Ontem (16), a ocupação diminuiu para cerca de 92%, com 230 pacientes em 251 leitos de UTI.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário