17 de novembro, de 2020 | 22:22

Brasil vence Uruguai por 2 a 0

Lucas Figueiredo

No estádio Centenário, em Montevidéu, o Brasil enfrentou o Uruguai fora de casa e venceu por 2 a 0, em jogo válido pela quarta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA Catar 2022. Os autores dos gols nesta terça-feira (17) foram Arthur e Richarlison. O resultado mantém a Seleção na primeira colocação, com 12 pontos. Mais do que isso: o time treinado por Tite segue com 100% de aproveitamento na competição, com quatro vitórias em quatro jogos – assegurando, portanto, a invencibilidade em 2020.

O próximo desafio da Seleção nas Eliminatórias será apenas em 25 de março de 2021, contra a Colômbia, ainda sem local definido.

O jogo
O início de partida foi bem equilibrado e agitado em Montevidéu. O Brasil teve a primeira boa chance aos dois minutos, em chute da ponta direita de Gabriel Jesus salvo por Campaña. O Uruguai respondeu no lance seguinte, em jogada de Darwin Núñez que terminou carimbando o travessão brasileiro.

A Seleção prosseguiu na partida com boas trocas de passe, enquanto a Celeste buscava as descidas rápidas. Aos dez minutos, Cavani levou perigo em cabeceio após cruzamento de Nández, mas a bola subiu. Apesar disso, o confronto seguiu truncado nos momentos seguintes, com muita disposição dos dois lados, mas poucas finalizações.

Aos poucos, o Brasil passou a trabalhar melhor a bola e conseguiu abrir o placar aos 33 minutos. A jogada começou com Everton Ribeiro pela ponta direita. Danilo recebeu passe e cruzou, Gabriel Jesus ajeitou e Arthur chegou para finalizar – o chute desviou na defesa uruguaia e entrou. No lance seguinte, Roberto Firmino foi acionado em velocidade e fez o remate na área, mas Campaña salvou.

A Seleção manteve o controle e conseguiu chegar ao segundo gol aos 44 minutos. Após cobrança de escanteio curta, Renan Lodi recebeu e cruzou na cabeça de Richarlison, que testou no canto para marcar. No último lance da etapa inicial, o Uruguai acertou outra vez o travessão em cabeceio de Godín, aproveitando falta cobrada por De La Cruz.

No segundo tempo, o Brasil voltou ameaçando mais e teve duas boas oportunidades na parte inicial. No primeiro minuto, Gabriel Jesus arriscou da entrada da área, mas o chute subiu demais. Aos cinco, foi a vez de Everton Ribeiro arriscar em cobrança de falta para a defesa de Campaña. Na sequência, a Seleção manteve a posse de bola e, se não conseguia finalizar com perigo, também limitava as ações dos uruguaios.

Aos 25 minutos, a situação ficou ainda mais confortável para o Brasil com o cartão vermelho direto para o uruguaio Cavani, por entrada desproporcional em Richarlison. Inicialmente, o juiz havia aplicado o amarelo, mas a decisão foi revisada com o auxílio do árbitro de vídeo. Apesar disso, a Celeste tentou reagir e até balançou a rede logo depois com Cáceres, em bate-rebate após cobrança de escanteio. Porém, a arbitragem pegou posição irregular do lateral-direito e anulou o gol.

Na reta final, o Brasil teve apenas que manter a vantagem e foi pouco incomodado. Além da entrada de Everton no lugar de Richarlison, realizada pouco antes da expulsão de Cavani, Lucas Paquetá e Bruno Guimarães também entraram em campo nos acréscimos, substituindo Everton Ribeiro e Douglas Luiz. Aos 49, o árbitro apitou o fim do jogo e decretou a vitória brasileira.

Brasil: Ederson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Arthur, Douglas Luiz (Bruno Guimarães), Everton Ribeiro (Lucas Paquetá); Gabriel Jesus, Richarlison (Everton) e Roberto Firmino.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário