15 de outubro, de 2020 | 13:45

Família pede ajuda para cirurgia em recém-nascido

Menino precisa de transporte aéreo para Belo Horizonte, pois não suportaria vias terrestres

Álbum pessoal
Heitor Ferreira de Freitas nasceu no último domingo (11) e já enfrenta sua primeira batalhaHeitor Ferreira de Freitas nasceu no último domingo (11) e já enfrenta sua primeira batalha


A família do pequeno Heitor Ferreira de Freitas, nascido no último domingo (11), no Hospital Márcio Cunha (HMC), em Ipatinga, tem vivido dias de angústia. O recém-nascido, de apenas quatro dias, terá de operar o coração, numa cirurgia considerada de urgência. Ele nasceu com má-formação em uma válvula, segundo a mãe, Maria Gorethe Ferreira Gomes, que faz um apelo para que a criança tenha chance de sobreviver.

Gorethe, que entrou em contato com o Diário do Aço na manhã desta quinta-feira (15), informou que reside na cidade de Caratinga, mas que por problemas de saúde durante a gestação, seu médico orientou que viesse para Ipatinga, onde seria mais bem assistida no HMC. Ela fez o pré-natal naquela cidade, mas no último exame de rotina seu obstetra observou alteração nas plaquetas e encaminhou Gorethe para Ipatinga, por causa da UTI e de toda a estrutura.

“Tive gêmeos, nascidos no Márcio Cunha com 34 semanas. O Heitor nasceu com um problema, uma má-formação na válvula do coração, que acarreta sopro. Conseguimos a cirurgia no Biocor, em Belo Horizonte e estávamos a caminho de lá por via terrestre, mas tivemos de voltar porque o bebê ficou agitado. A saturação baixou e acharam melhor retornar, o asfalto está ruim e não ajuda. Heitor necessita de transporte, mas meu plano, Ipsemg, não cobre”, lamenta.

Um orçamento para levar o menino até a capital foi cotado em mais de R$ 25 mil. A mãe pede ajuda para amparar seu filho, seja por meio do plano ou com ajuda financeira. Os interessados em doar qualquer quantia ou mesmo o transporte, podem entrar em contato com Gorethe por meio do celular (33) 99992-2014. Depósitos via banco Itaú, agência 3162, conta poupança 34673-2, em nome de Maria Gorethe Ferreira Gomes.

“É um apelo de mãe, foi uma gestação muito abençoada, são crianças muito desejadas. Mas por causa disso ficamos sem saber o que fazer, estamos sem chão, mas correndo atrás de tudo para ver o que fazer e conseguir esses transporte aéreo. Eu faço qualquer coisa pra ver meu filho bem, peço ajuda de quem puder”, suplica.

Ipsemg
A reportagem procurou a assessoria de Comunicação do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg). Sobre a remoção de pacientes entre unidades hospitalares credenciadas, "o Ipsemg esclarece que de acordo com a legislação vigente, está previsto o transporte intermunicipal por via terrestre (UTI Neonatal) em sua Tabela de Honorários e Serviços para a Área da Saúde (THS)", informou.

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário