08 de outubro, de 2020 | 20:54

Cruzeiro perde mais um jogo e se afunda no Z4 da Série B

Raposa foi derrotada pelo Sampaio Corrêa em casa

Gustavo Aleixo

Nesta quinta-feira (8), Cruzeiro e Sampaio Corrêa-MA se enfrentaram no encerramento da 14ª rodada da Série B. No Mineirão, a Bolívia Querida levou a melhor e saiu com a vitória por 2 a 1 diante da Raposa, mesmo jogando fora de casa. Roney e Caio Dantas marcaram os gols da equipe maranhense, enquanto Manoel balançou a rede para os mineiros.

Com o resultado, o Sampaio, que tem três jogos a menos, deixa a zona de rebaixamento e chega ao 15º lugar, com 14 pontos. Por outro lado, os cruzeirenses permanecem no Z-4, com 11 pontos em 14 partidas e a 18ª colocação na tabela.

O jogo
A partida começou com duas chances de cabeça, uma para cada lado. Ambas estavam em posição irregular, mas obrigaram os goleiros a executarem boas defesas. O Sampaio Corrêa abriu o placar aos 12 minutos, com Roney. O atacante recebeu de Luís Gustavo e bateu cruzado para marcar. Aos 16, Pimentinha chutou e a bola desviou, levando perigo para os cruzeirenses. A Raposa revidou com Sassá, que mandou por cima do gol, aos 20. A Bolívia Querida teve uma chance clara em contra-ataque aos 34, mas não conseguiu acertar o último passe. Em cobrança de falta, o time da casa chegou ao empate aos 40 minutos, em cabeceio de Manoel que ainda resvalou no travessão.

Na etapa final, as duas equipes tentaram se impor, mas o equilíbrio deu as caras no início. No primeiro bom lance, porém, a rede balançou: Pimentinha avançou pela direita e tocou para Caio Dantas bater no canto e botar os visitantes na frente, aos 12 minutos.

Atrás no placar, o Cruzeiro tentou ocupar mais o campo de ataque, mas não levou muito perigo à zaga adversária. Daniel Guedes e Manoel tiveram oportunidades em bolas paradas, mas não acertaram o alvo. O momento mais perigoso do time da casa no segundo tempo saiu dos pés de Thiago, que bateu para o gol sem goleiro e viu a defesa cortar, já aos 39. O atacante ainda teria outro lance aos 48, desta vez pelo ar; no entanto, cabeceou para fora e não conseguiu mudar a história do confronto.

Cruzeiro
Fábio; Daniel Guedes, Manoel, Ramon e Giovanni (Rafael Luiz); Henrique (Jadsom) e Filipe Machado (Claudinho); Airton, Régis (Maurício) e Arthur Caíke (Thiago); Sassá. Técnico: Ney Franco

Sampaio Corrêa
Gustavo; Luís Gustavo, Joécio, Daniel Felipe e João Victor; André Luís, Vinícius Kiss e Marcinho (Eloir); Roney, Pimentinha (Robson) e Caio Dantas (Jackson). Técnico: Leo Condé
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Falo Nada

09 de outubro, 2020 | 10:44

“Técnico que deixa como titular um jogador tipo o Sassá, entra com menos um em campo; não consegue dominar uma bola,não acerta um chute e é só pancada affff......”

Envie seu Comentário