PREF BELO ORIENTE MAIO LARANJA 02 - 728X90

30 de setembro, de 2020 | 06:24

É alta temporada das jubartes no litoral baiano

© Luiz Otávio Freitas Maia Júnior
Água quente do Atlântico Sul, na Bahia, é o paraíso para a reprodução das baleias jubarteÁgua quente do Atlântico Sul, na Bahia, é o paraíso para a reprodução das baleias jubarte

Como ocorre todos os anos, o mês de setembro é alta temporada de reprodução das baleias jubarte (Megaptera novaeanglie), que vêm ao Brasil entre os meses de julho e novembro. Esses mamíferos marinhos estão presentes na maioria dos oceanos, mas todo segundo semestre nadam para se reproduzirem nas águas quentes do oceano Atlântico, que banham o litoral do Brasil. A concentração ocorre, em especial, no litoral baiano, conforme mostram as imagens do fotógrafo ipatinguense, Luiz Otávio Freitas Maia Júnior, capturadas na Praia do Forte, no litoral norte do Estado da Bahia.

Nesse período, as jubartes são avistadas nas águas mais rasas, preferencialmente com menos de 500 metros de profundidade e dão um show quase à flor da água. O auge da temporada reprodutiva da espécie no Brasil é nesse mÊs de setembro.

A intensa atividade dos mamíferos marinhos atrai centenas de turistas todos os anos. A aproximação para avistamento só pode ser feita por equipes credenciadas e segue protocolos de segurança.

Existem registros de ocorrência de baleias jubarte do litoral do Rio Grande do Sul ao Pará, mas a maior concentração ocorre no Banco dos Abrolhos, situado entre o sul da Bahia e o norte do Espírito Santo, dois estados onde há maior movimentação de turistas que vêm de várias partes do mundo para uma imersão no mundo jubarte.
© Luiz Otávio Freitas Maia Júnior
Atividade das jubarte é um show para quem gosta de fotografia Atividade das jubarte é um show para quem gosta de fotografia

Nessa região é possível encontrar mais de 80% das jubartes que visitam a costa brasileira. É também nesta área que a plataforma continental sofre um alargamento, mantendo as águas rasas até cerca de 200 quilômetros mar adentro.

A caça, considerada um dos motivos para a diminuição da população de baleias jubarte em todo o mundo, foi proibida em 1966. Com isso, há uma recuperação da população, que está reocupando antigas áreas de ocorrência. Já faz alguns anos é comum observar baleias jubarte nas proximidades de Salvador e sua presença em Sergipe está cada vez mais comum. O crescimento da população é estimado em cerca de 7% ao ano. Veja, abaixo, galeria das fotos de Luiz Otávio Freitas Maia Júnior, especialmente para o Diário do Aço.



MAIS FOTOS

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário