25 de setembro, de 2020 | 14:14

Volta da torcida aos estádios ainda não foi definida

Mailson Santana/Fluminense/Foto ilustrativa
Tema voltará a ser pauta de reunião entre clubes e CBFTema voltará a ser pauta de reunião entre clubes e CBF

A reunião por videoconferência que contou com a presença de representantes da CBF, clubes da Série A do Brasileirão e as respectivas federações estaduais, realizada na quinta-feira (24), para discussão do retorno do público aos estádios, terminou sem consenso.

O Flamengo e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) defenderam que deveria haver torcida nos municípios que liberassem imediatamente a presença do público nos estádios, independente de outras cidades. Essa proposta vai contra o interesse de todos os outros clubes, que defendem que a volta dos torcedores deve ocorrer em todos os municípios onde há jogos do Brasileirão, caso contrário, o ideal seria manter as partidas sem torcida.

Conforme divulgado pelo colunista Rodrigo Mattos, do Uol, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, propôs a realização de uma votação para definir a questão da volta do torcedor em todos os municípios. O que não foi possível de ocorrer por causa de uma discussão de Caboclo com o presidente da Ferj, Rubens Lopes.

Com isso, a reunião terminou sem um consenso sobre a volta dos torcedores aos estádios. Agora, o tema deverá ser debatido em nova reunião.

Definições

As únicas definições tomadas pela CBF durante o encontro foi o aumento do limite de inscrições para o Campeonato Brasileiro da Série A de 40 para 50 atletas. Outra medida é que as partidas poderão ser realizadas se o time tiver, no mínimo, 13 jogadores não infectados pela covid-19.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário