Quebra-molas começam a ser instalados no trevo do Parque Caravelas

Alex Ferreira/Arquivo DA


Essa será uma solução provisória, até que o redutor eletrônico de velocidade seja recolocado no local

Após diversas reclamações por parte de condutores e moradores, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) promoverá uma intervenção na BR-381, entre os Parques Caravelas e Veneza, em Santana do Paraíso. A previsão é de que a instalação da sinalização vertical ocorra a partir desta quarta-feira (16). Cinco dias depois, segunda-feira (21), terá início a colocação de ondulações transversais, conhecidas popularmente como quebra-molas. A informação é da assessoria de Comunicação da autarquia. Conforme apurado, essa será uma solução provisória, até que o redutor eletrônico de velocidade seja recolocado no local.

No mês de maio deste ano, o Diário do Aço divulgou que moradores do bairro Parque Caravelas reclamaram do risco de acidentes na travessia do trevo do bairro, na BR-381, depois que foi retirado o radar localizado nas proximidades. Conforme relatos, o local já foi palco de “acidentes horríveis”, reduzidos consideravelmente depois que a concessionária do serviço de controle de velocidade instalou um radar naquele ponto.

Ocorre que, desde o ano passado, sem a renovação do contrato pelo governo federal, os radares começaram a ser desligados e no começo desse mês os equipamentos foram removidos. Sem o radar no local aumentou a velocidade no trecho, que é uma reta com descida no sentido a Governador Valadares. Com isso o risco de novas tragédias no trevo tem assustado quem precisa atravessar o local.

Além de moradores o trevo é usado também por quem sai do bairro Parque Veneza, onde estão o supermercado Mart Minas e várias outras empresas de grande porte. À época, a presidente da associação de moradores do Parque Caravelas, Glauce Cristina Fernandes, afirmou ao Diário do Aço que, se o radar não puder voltar, a entidade vai pedir um quebra-molas no local. “Não podemos permitir a volta desses acidentes que já levaram vidas”, disse Glauce. A dirigente comunitária não descartou a possibilidade de uma mobilização dos moradores em um abaixo-assinado, para pedir ao Dnit (que tem jurisdição sobre o local) a tomada de providências no sentido de proteção à vida.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Viana 17 de setembro, 2020 | 18:06
É triste ver uma cidade bonita...pujante como Ipatinga ,cheia de quebra-molas em suas ruas e vias ....
Moises 16 de setembro, 2020 | 15:57
Só quem mora ou tem que atravessar este trecho deste estrada todos os dias sabe o valor deste quebra molas, depois faz um viaduto.
Matheus Felix Santana 16 de setembro, 2020 | 12:57
Faz extremamente necessário a instalação é de barreiras de concreto no trevo de acesso ao aguas claras na BR, evitando que motoristas indisciplinados encostem o carro próximo ao radar para acessar a entrada do bairro, não fazendo o retorno correto próximo ao GreenPark... Já presenciei diversos acidentes no local por essa imprudência.
Gleiziano 16 de setembro, 2020 | 12:10
Estão precisando melhorar a entrada do bairro Águas Claras também, motoristas e motociclistas parando no acostamento para convergir em local proibido. Preguiça de retornarem próximo a Vital Engenharia, está um caos, a qualquer momento vai acontecer uma tragédia naquele local.
Marcelo Costa Gravessan 16 de setembro, 2020 | 11:18
O radar era uma solução associada à educação do motorista, ao respeito aos limites civilizados. O quebra-molas é a brutalidade, a ignorância, a rudeza, que pune a todos, sejam os educados ou os incivilizados.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO