8 cidades montanhosas ao redor do mundo para os mineiros se sentirem em casa na próxima viagem


O ano de 2020 se tornou bastante improdutivo para o turismo. Por conta da pandemia de coronavírus, fronteiras ficaram fechadas, aeroportos diminuíram o fluxo e pessoas precisaram atrasar suas viagens por tempo indeterminado.

Porém, a perspectiva de vacina já para 2021 traz de volta a esperança para um próximo ano mais tranquilo e propício às férias.

Pensando nisso, separamos uma lista de destinos bem menos famosos do que os grandes centros do mundo, mas com uma característica em comum: o relevo montanhoso de sua geografia, o que fará os mineiros se sentirem em casa. Então, confira as dicas e aproveite para juntar o dinheiro e planejar sua viagem para os próximos anos.

Torla, Espanha


A pequena cidade de Torla se localiza na província de Huesca, região do antigo Reino de Aragão, na Espanha. Bem próxima à França, Torla está na porta de entrada para o Parque Nacional de Odessa e Monte Perdido, uma das mais belas paisagens dos Pirinéus Aragonenses.

O município oferece opções interessantes de hotéis, principalmente com charmosos espaços de estilo medieval. Então, para as viagens futuras à Europa, vale a pena usar a pequena Torla como uma parada entre França e Espanha, por exemplo, saindo um pouco dos grandes centros de Paris e de Madrid para respirar um pouco de ar puro no interior espanhol.

Aspen, Estados Unidos


A pequena cidade de Aspen, no Colorado, apresenta algumas das melhores montanhas para a prática do esqui nos Estados Unidos. Além de levar boas blusas de frio na bagagem, o visitante precisa se preparar para se virar com o idioma e não passar por grandes apuros durante a viagem.

Por se tratar de um pequeno município no interiorzão dos Estados Unidos, compreender o sotaque 'carregado' pode não ser das tarefas mais fáceis. Assim, a dica fundamental para curtir o passeio é procurar um bom curso de inglês para viagem bem antes de arrumar as malas e separar o passaporte na bolsa.

Calgary, Canadá


Continuando na América do Norte, encontramos Calgary, a maior cidade da província de Alberta, no Canadá, com mais de 1 milhão de habitantes. A região é coberta por montanhas e oferece belíssimas paisagens, propiciando um contraste entre natureza e metrópole cosmopolita.

Pelo tamanho da cidade, é possível encontrar uma série de diferentes hóteis, com preços e comodidades bem distintos. Nos pacotes, também é fácil comprar passeios para as regiões das montanhas e dos parques. Além disso, a possibilidade de se comunicar em inglês auxilia bastante a evitar apuros na viagem.

Hallstatt, Áustria


A minúscula Hallstatt é um vilarejo montanhoso na Áustria. A cidadezinha compõe um cenário de fotos com aquele charme de filme europeu, cheia de casinhas de madeira e um belo lago. Ao redor, montanhas e um rio, ambos abertos para passeios e visitas dos turistas.

Há pouquíssimas opções de hospedagem em Hallstatt, tornando mais fácil a estadia em Salzburg, e, posteriormente, um bate-volta até o vilarejo. Isso deixa a viagem mais cara, principalmente pelo transporte. Então, procure economizar bastante se o seu plano é ir para a Áustria nas próximas férias.

Chamonix, França


Quem não tem medo de se arriscar no francês pode aproveitar a região de Chamonix, próxima ao Mont Blanc, na França. O município de pouco mais de 10 mil habitantes é uma importante área turística já na fronteira com a Suíça e com a Itália, a poucos quilômetros do pico mais alto da Europa Ocidental.

Apesar do tamanho, a cidade oferece uma boa estrutura, com opções de hospedagem, restaurantes e comércios. Dá para se pensar em um roteiro passando dias em Chamonix e depois seguindo viagem para outros destinos da Itália. Quem sabe ainda não cabe um tempinho em Torla?

Wanaka, Nova Zelândia


A região de Wanaka é famosa pela peculiar imagem de uma ávore solitária no rio. A posição dos galhos até lembra uma curvatura convidativa para conhecer a cidade, quase que um ‘boas-vindas’ para os visitantes. A área, então, oferece muito mais do que uma foto pitoresca para descanso de tela do computador.

A cidade de Wanaka, com menos de 10 mil habitantes, oferece muitas estações de esqui nas montanhas ao redor do
rio Wanaka. No verão, também é possível curtir bastante a região. Localizada no sul da Nova Zelândia, a partir de Wanaka pode-se conhecer outras cidades, como Queenstown e Jamestown.

Shangri-La, China


A cidade de Shangri-La, nome oficial do município na região de Gyalthang, no Tibet, oferece uma estadia rodeada pelas montanhs do vale de Gyalthang, consideradas as protetoras dos indivíduos residentes por ali.

A chegada em Shangri-La pode ser um tanto quanto complicada, já que Shangri-la City está bem longe de Pequim, na região da Prefeitura Autônoma Diqin Tibetan, mas com planejamento e dinheiro dá para aproveitar muito do passeio.

Riobamba, Equador


A cidade de Riobamba é um dos municípios mais antigos do Equador. Atualmente, conta com mais de 200 mil habitantes e é um dos principais centros da região homônima de Riobamba.

Ao redor da cidade, há uma grande variedade de passeios em montanhas e em lagos, ainda mais no inverno, em que os espaços estão cobertos de gelo. E tudo isso relativamente perto do Brasil se comparado com as paisagens europeias. Então, vale bastante a pena pensar no Equador para a próxima American Trip.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO