Entidades socioassistenciais assinam termo de fomento em Santana do Paraíso

Divulgação


Projetos serão desenvolvidos pelas entidades junto às crianças e adolescentes do município

Com o objetivo de assinar o Termo de Fomento referente aos projetos que serão beneficiados pelo Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), foi realizada na última semana uma reunião, no prédio do Paço Municipal, entre representantes das entidades Roma Futebol Clube e o Centro de Assistência Social e Educacional João Matias de Oliveira (CEJOC). Também participou da reunião a secretária de Assistência Social de Santana do Paraíso, Meirivan Paula.

De acordo com o termo, os projetos que serão desenvolvidos pelas entidades junto às crianças e adolescentes terão início apenas após a liberação das atividades coletivas, porque todas as atividades ainda seguem suspensas em virtude da pandemia.

A entidade Roma vai trabalhar o projeto “Juntos no Caminho do Bem 2”, (JCB2), que terá como proposta a ampliação e estruturação da modalidade esportiva de taekwondo junto ao acompanhamento psicológico e social, para 80 crianças e adolescentes do bairro Cidade Nova. O projeto ainda pretende estimular o desenvolvimento cognitivo e intelectual das crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e violação de direitos, promovendo também o fortalecimento do vínculo familiar e social, oportunizando a inclusão social de crianças e adolescentes com deficiências e/ou transtornos.

Serão ofertados 20% das vagas para aqueles que já possuem diagnósticos de deficiências e/ou transtornos neurológicos com encaminhamento de médico especialista para a prática de atividades desportivas, promovendo a inclusão social de uma forma ampla nesta comunidade.

Já o CEJOC vai desenvolver o projeto Qualificar, que surgiu da necessidade de ofertar aos adolescentes do município cursos profissionalizantes para promover a autonomia e melhoria da perspectiva de vida, geração/aumento da renda familiar e inserção no mercado de trabalho aos adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

O público-alvo serão adolescentes de 14 a 17 anos, em risco de vulnerabilidade social, moradores da região central e bairros Industrial e Águas Claras, visando a inclusão no mercado e trabalhando aspectos comportamentais com foco nos valores de cidadania, autoestima e perspectiva de vida.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO