Morre de covid-19 o cantor Parrerito, do Trio Parada Dura

Cantor sertanejo estava internado em UTI, mas não resistiu à infecção causada pelo novo coronavírus

Divulgação


Parrerito, do Trio Parada Dura, sucumbiu depois de 16 dias hospitalizado com a covid-19

O cantor sertanejo Parrerito, vocalista do Trio Parada Dura, perdeu a vida vitimado pelas consequências da covid-19. O cantor ficou 16 dias internado no hospital da Unimed, em Belo Horizonte. Eduardo Borges, o Parrerito, tinha 67 anos.

Idoso e diabético, Parrerito permaneceu na Unidade de Tratamento Intensivo nas últimas semanas, mas não resistiu à infecção causada pelo coronavírus e faleceu às 21h30 de domingo (13), segundo a assessoria de imprensa do Trio Parada Dura."Batalhou muito, mas infelizmente não resistiu às complicações da doença", diz nota do grupo. Parrerito deixa mulher, filhas e netos que eram sua grande paixão. Veja, mais abaixo, a íntegra da nota divulgada pela assessoria à imprensa:

Um trio de sucesso com 47 anos



O Trio Parada Dura foi fundado em 1973 e teve como formação mais famosa os cantores Creone, Barrerito (irmão de Parrerito) e Mangabinha.

Parrerito entrou no grupo em 1982, após um acidente aéreo que deixou seu irmão paraplégico. A formação atual era composta por Creone, Parrerito e Xonadão.

O grupo tem 11 discos de ouro e três de platina no currículo e sucessos como "As andorinhas", "Aceita que Dói Menos", "Último Adeus", "Telefone Mudo" e "Fuscão Preto", entre outros.

COMUNICADO - PARRERITO

É com muita tristeza e o coração apertado que informamos o falecimento do cantor Eduardo Borges, conhecido como Parrerito, neste domingo, 13 de setembro, em Belo Horizonte (MG). Voz principal do Trio Parada Dura, Parrerito morreu por volta das 22h após complicações causadas pela Covid-19.

Parrerito foi internado há 16 dias no Hospital Unimed, em Belo Horizonte (MG), com sintomas do novo coronavírus e, por ser do grupo de risco pela idade e diabético, precisou ser mantido na UTI em estado grave. Batalhou muito, mas infelizmente não resistiu às complicações da doença.

Familiares e a equipe Trio Parada Dura agradecem todas as correntes de orações e fé formadas durante a luta de Parrerito pela vida. Elas mostraram o quanto ele era tão querido e estimado por todos. E é desta forma que vamos sempre lembrar dele.

Igual a andorinha, Parrerito parte voando e deixa um Brasil inteiro já com saudade de sua voz que por quase quatro décadas marcou gerações no Trio Parada Dura. Ficará para sempre em nossos corações e na memória da música sertaneja. Parrerito deixa mulher, filhas e netas que eram sua grande paixão. Vai com Deus, Parrerito! Sentiremos muito sua falta.

Att. Equipe Trio Parada Dura
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Ricardo Lopes 15 de setembro, 2020 | 07:23
Flávia, PArrerito é irmão de BArrerito. Isso está na notícia, inclusive.
Flavia Leal 14 de setembro, 2020 | 21:57
Alguem por favor corrija a matéria é Barrerito e não Parreirito e o erro se repete várias vezes.
Gildázio Garcia Vitor 14 de setembro, 2020 | 09:02
Desculpem pelo erro: aqueles que não curtiram suas canções.
Gildázio Garcia Vitor 14 de setembro, 2020 | 08:54
Tomei muita pinga nos butecos e outros ambientes nada familiares dos Caladinhos em Fabriciano ouvindo as músicas deles. A morte de qualquer pessoa é dolorosa, mas a de um artista popular é maior, pois atinge a todos, até aqueles que nunca curtiu as suas canções.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO