Vereador de Governador Valadares é preso em operação do Gaeco

Foram cumpridos também sete mandados de busca e apreensão

Divulgação


O vereador de Governador Valadares, Waldecy Barcellos (PSDB), foi preso na manhã desta sexta-feira (11), em sua residência, localizada no bairro Planalto. A prisão faz parte da “Operação Partilha”, deflagrada pelo Ministério Público de Minas Gerais, por meio do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Conforme apurado, policiais ficaram na casa do parlamentar durante quase toda a manhã, cumprindo mandado de busca a apreensão. A polícia cumpriu mandado de prisão preventiva contra Waldecy e outros sete de busca e apreensão, em residências e no gabinete do vereador, na Câmara de Valadares. O comando da operação informou, em nota, que “trata-se de investigação e repressão qualificada aos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro”, e que os trabalhos prosseguem, por determinação judicial, sob sigilo.


Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

MAIS FOTOS

Comentários

Claudiney 12 de setembro, 2020 | 19:01
Estou esperando a limpeza geral até do atual e dos ex prefeitos governador Valadares está um caos graças as mas gestão do atual e dos ex infelizmente não temos representantes em nossa queria Valadares que cresce em população mas não a empregos estes políticos corruptos tem que ir todos pra cadeia.
Marcio 12 de setembro, 2020 | 09:03
Pessoal do GAECO parabéns pelo trabalho e meus sinceros agradecimentos.O Vale do Aço esta se tornando cada dia mais um lugar difícil de viver.Muito bandido de colarinho branco achando que ficarao impunes.Um dia a casa cai.Se lascou vereador.A Receita Federal deveria confiscar os bens desse e dos demais corruptos.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO