Jogadores do Ipatinga relatam cuidados durante a pandemia e expectativa para reestreia no Módulo B

Yago Cardoso


O atacante Núbio Flávio espera que o entrosamento entre antigos e novos jogadores aconteça em breve

Além dos dez jogadores que iniciaram a disputa do Módulo B do Campeonato Mineiro, o Ipatinga trouxe 13 reforços com a retomada do futebol no estado. Entre os destaques que chegaram está o atacante Núbio Flávio, de 28 anos, natural de Timóteo.

O atleta, que tem como seu último clube o ABC de Natal, disse ter optado pelo Ipatinga pela grandeza do clube. “Fiquei muito feliz e satisfeito com o convite. Eu sou da região e conheço bem o clube, sei da grandeza dele. Nunca tive oportunidade de jogar aqui, é um time que admiro desde jovem. Quando apareceu essa oportunidade eu aceitei de prontidão e espero poder contribuir para que o Ipatinga volte ao lugar de onde nunca deveria ter saído”, declarou o atacante.

Núbio Flávio ainda relatou as dificuldades de ficar tanto tempo parado, por causa da pandemia de covid-19. “A nossa profissão requer muito cotidiano. E quando isso para, como aconteceu por causa da pandemia, para a gente é muito complicado, por mais que façamos trabalhos específicos (em casa) não é a mesma coisa do ambiente (de treinamentos coletivos)”, ponderou o atleta. “Nós precisamos atuar, ter ritmo de jogo, ter tempo de bola. Enfim, são coisas que a gente vai adquirindo somente com o treinamento. Foi um momento muito complicado, mas graças a Deus superamos e agora estamos tranquilos e preparados para poder voltar da melhor maneira possível”.

Entrosamento

Com passagens por América, Athletico-PR, Fortaleza, Paraná e clubes da Geórgia, Núbio nunca disputou o Módulo B do Mineiro. “Saí daqui muito novo. Com 15 anos já fui para outros estados disputar outras competições. Mas acho que futebol não muda muito, independente da divisão é um contexto só”, avaliou.

Com o Tigre montado praticamente com metade do time que iniciou a temporada e com outra metade que chegou agora, Núbio Flávio aponta o entrosamento como um desafio. “O Ipatinga é um time muito qualificado, com jogadores muito experientes. A juventude também tem muita qualidade. A gente não se conhece muito ainda, e isso é questão de tempo para haver o entrosamento. Com a categoria e habilidade de todos e com a experiência dos mais velhos, as coisas vão se encaminhar bem”, anseia Núbio Flávio.

Cuidados

A pandemia de covid-19 alterou bastante a vida de todos, e não seria diferente com o futebol. Para a retomada do Módulo B, os clubes tiveram que se comprometer a seguir uma série de regras sanitárias. “Lamentamos muito por essa situação (pandemia), algo que ninguém esperava. Mas temos nos adaptado bem, tomando os devidos cuidados. No nosso CT, por exemplo, tem o uso do álcool em gel, que está em todo canto. Também procuramos nos policiar fora de campo, para poder estarmos aptos para, quando a competição voltar, estarmos da melhor maneira possível”, destacou Núbio Flávio.

Reestreia

Na reestreia do Módulo B, no dia 10 de outubro, o Ipatinga vai encarar o Democrata-SL em casa, com portões fechados. O time é um adversário direto do Tigre na busca por uma vaga no G4. O Ipatinga ocupa a sexta colocação, com oito pontos e o Democrata está uma posição acima, com nove pontos. O primeiro clube do G4, o Guarani, soma dez pontos. Ainda faltam cinco rodadas para o fim da fase de classificação.

“Teremos cinco decisões, independente do adversário. O Ipatinga é um time grande, de tradição. Precisamos buscar a vitória sempre e é isso que vamos fazer. É uma pena não termos o nosso torcedor (no estádio), que infelizmente é algo que fugiu da nossa alçada, mas temos que saber lidar bem com isso. Precisamos saber lidar com as dificuldades e buscar a classificação”, concluiu o atacante.

Yago Cardoso


Meia é um dos atletas que iniciou a disputa do Módulo B pelo Tigre
Tchô destaca cuidados durante a pandemia

Um dos remanescentes do time que iniciou a disputa do Módulo B, o meia Tchô ressaltou os cuidados tomados pelo clube em tempos de pandemia. “O que mudou durante a pandemia são os cuidados fora de campo, como o uso de álcool em gel e sempre nos policiarmos. Não podemos correr o risco de perder um titular por causa de um resultado positivo para covid-19”, disse o jogador, lembrando que todos os atletas do Módulo B serão testados para a covid-19 antes dos jogos.

A pandemia que parou o futebol também fez com que os atletas ficassem longe dos campos, o que prejudica a forma física. “Foi muito ruim ficar cinco meses sem praticar o esporte que a gente mais gosta. É óbvio que a gente tentou fazer os treinamentos em casa, mas é bem diferente do treinamento tradicional de alto nível. Procurei fazer os treinamentos à medida do possível”, contou Tchô. “O receio de lesões existe, pelo tempo parado, e os treinos têm sido bem feitos justamente por causa desse risco. Temos que trabalhar de forma gradativa, não pode ser como de costume nas pré-temporadas porque senão há o risco de se machucar”, detalhou.

Tchô disse acreditar que no dia 10 de outubro o time estará pronto para voltar ao campo. “Voltamos com 40 dias para a nossa estreia, o que é um tempo hábil para nos prepararmos. Acredito que vamos conseguir recuperar toda a nossa forma física nesse período para poder fazer uma boa estreia”, finalizou.


Jogadores do Ipatinga relatam cuidados durante a pandemia e expectativa para reestreia no Módulo B
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO