Cartórios mineiros registram aumento na busca por testamentos durante a pandemia

Tema recorrente em tempos de pandemia, os testamentos realizados em Cartórios de Notas de Minas Gerais mostraram um aumento crescente ao longo dos últimos meses, chegando a 170%, na comparação entre os meses de abril e julho de 2020. Os dados mostram que o crescimento começou um mês após o início da pandemia, em março, e continuam aumentando mês a mês em diversos estados brasileiros. Em números absolutos, Minas Gerais passou de 134 testamentos em abril para 362 em julho. As informações são da assessoria de comunicação do Colégio Notarial do Brasil – Seção Minas Gerais (CNB/MG).

Os dados, coletados pelo Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNB-CF), por meio da Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados (Censec), mostram a crescente preocupação dos requerentes em garantir que seus bens sejam corretamente encaminhados e suas vontades cumpridas em caso de morte, utilizando instrumentos legais que evitem futuras disputas entre familiares. Tabeliães também relatam aumento na busca por orientações sobre os atos por idosos, profissionais da saúde e até mesmo jovens, que fazem parte do grupo de risco da covid-19.

Alguns estados destacam-se na comparação entre os meses de abril e julho deste ano, como Amazonas (1000%), Ceará (933%), Roraima (400%), Distrito Federal (339%), Maranhão (300%), Mato Grosso (300%), Sergipe (260%), Pernambuco (225%), Espirito Santo (175%), Rio Grande do Sul (187%), Alagoas (167%) e Santa Catarina (108%). Já outras unidades da Federação, como Tocantins (150%), Roraima (100%), Paraíba (45%), Goiás (31%), Espirito Santo (22%), Paraná (17%), Mato Grosso do Sul (7%) e Pernambuco (6%), mostram um crescimento acima da média, ultrapassando inclusive os números de julho de 2019.

Para o presidente do CNB/MG, Eduardo Calais, os números indicam que a população brasileira está mais atenta à importância do planejamento sucessório. “O aumento na procura por testamentos é um reflexo do momento pelo qual estamos passando. A pandemia evidenciou a necessidade do planejamento sucessório e as pessoas estão mais atentas à resolução das questões que envolvem bens materiais. Neste sentido, o testamento é um caminho simples e seguro para que os conflitos e irregularidades entre os herdeiros sejam evitados”, declarou.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO