Rodovias federais escoam o tráfico de animais silvestres

PRF-MG já apreendeu esse ano o dobro de animais silvestres em relaçção a todo ano de 2020

Divulgação PRF-MG


Essa semana, 43 araras-canindé foram apreendidas e levadas para o Ibama, em Belo Horizonte

Desde o início de 2020, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, em Minas Gerais, 1.831 animais silvestres sendo traficados no estado. O número surpreende não apenas pela quantidade de animais resgatados do tráfico, mas principalmente ao compararmos com 2019, divulgou a superintendência da PRF em Minas Gerais.

Durante todo o ano passado, 963 animais foram resgatados. Com isso, a PRF já apreendeu, até o último dia 11 de agosto, quase o dobro de animais do que em todo o ano anterior. Além disso, no mesmo período em 2019 ( de 1º de janeiro a 11 de agosto), a PRF apreendeu 361 animais, cerca de um quinto da quantidade apreendida em 2020.

Somente nos últimos dois dias, a PRF apreendeu mais de 300 aves sendo traficadas no Triângulo Mineiro. As apreensões ocorreram em Uberaba e em Uberlândia.

Na BR-050, em Uberaba, foram localizados dois filhotes de araras Canindé, cinco curiós, um estrelinha, 120 canários da terra, 80 bigodinhos e 69 pássaros preto. Ao todo, o veículo transportava 277 animais. (Clique aqui e saiba mais).

Já em Uberlândia, na BR 365, a PRF resgatou 43 filhotes de araras da espécie Canindé, sendo traficadas por um homem informou que as venderia no estado de São Paulo.

No último mês de julho, outra grande apreensão chamou a atenção. Em Leopoldina, na Zona da Mata de Minas, 1.459 filhotes de jabutis foram resgatados junto com outras aves. Os animais eram transportados em sacos e alguns, inclusive, já estavam mortos quando foram encontrados pela PRF.

Crime e penalidades

O artigo 29 da lei nº 9.605/98 diz o seguinte:

Art. 29. Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida: Pena - detenção de seis meses a um ano, e multa.

O tráfico de animais é configurado pela retirada de animais de seus habitats naturais e destinados à comercialização. Os destinos desses animais são zoológicos, colecionadores, laboratórios para fabricação de medicamentos, ou mortos para terem suas peles ou outras partes do corpo retiradas e vendidas.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO