Homem é preso por esfaquear irmão na zona rural de Santana do Paraíso

Policiais militares prenderam no início da tarde desta quarta-feira (12) o lavrador J.J.C., de 48 anos. Ele é acusado de esfaquear o próprio irmão, C.A.J., de 38 anos, durante uma discussão na casa dos envolvidos no Córrego Batinga, na zona rural de Santana do Paraíso. A vítima foi internada em estado grave no Hospital Márcio Cunha (HMC).

A Polícia Militar foi acionada depois que C.A. deu entrada no HMC e diante dos ferimentos, só conseguiu informar que o irmão dele foi o autor das facadas que atingiram a região da cabeça. Ele foi encaminhado direto para o bloco cirúrgico, como apuraram os policiais militares que foram ao hospital para confirmar a situação, mas já passa bem.

A equipe da 45ª Companhia de Polícia Militar de Santana do Paraíso se deslocou para a casa da vítima e do suspeito nas proximidades da Cachoeira do José Onório. O lavrador J.J. foi encontrado e confirmou a autoria das lesões no próprio irmão, como apurou o Diário do Aço.

De acordo com o autor confesso, C.A. chegou em casa dizendo que um morador da localidade queria “pegar” J.J. e era para ele parar de “conversar fiado”. O lavrador ficou nervoso diante da forma que a vítima lhe dirigiu a palavra, pegou uma faca e partiu para cima do irmão.

Desferiu dois golpes no pescoço da vítima, que saiu ferido para buscar socorro. C.A. conseguiu ser socorrido em uma ambulância da Secretária Municipal de Saúde que o transportou até ao hospital. Já o autor confesso confirmou que a intenção era “acabar com a raça” do irmão. Ele recebeu voz de prisão e, com a faca usada na agressão apreendida, encaminhado à delegacia de Polícia Civil.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO