Covid-19: Comunidade médica se preocupa com problemas de saúde além do vírus na pandemia

Algumas doenças ficam negligenciadas com o foco no coronavírus


Atendimento por problemas cardiovasculares sofreram queda de aproximadamente 45% durante pandemia / Autor: freestocks.org / Fonte: Pexels

A pandemia causada pelo Covid-19 provocou uma diminuição no tratamento de outras doenças. Por medo de se expor ao risco de contrair o vírus ou ainda pela interrupção de alguns serviços de saúde, muitos pacientes têm negligenciado tratamentos importantes. Esse fato tem preocupado a comunidade médica brasileira.

A procura por atendimento para problemas cardiovasculares diminuiu entre 40 e 50% no Brasil, mas interromper o tratamento e os medicamentos para o coração pode se tornar muito perigoso em meio à uma pandemia. Pacientes com doenças cardiovasculares fazem parte do grupo de risco.

Além disso, pessoas com doenças crônicas, como hipertensão, diabetes e colesterol alto não devem abrir mão de suas consultas e medicamentos. Com os cuidados de higiene indicados pelo Ministério de Saúde é possível manter o tratamento.

Houve também uma queda de 70% na área de oncologia. Porém, uma pausa no tratamento de um câncer pode retardar a cura. Cada caso precisa ser avaliado pelo médico responsável, única pessoa capaz de autorizar um afrouxamento nos tratamentos durante esse momento.

Negligenciar esses cuidados em todos os problemas mencionados e procurar por ajuda médica apenas quando o quadro de saúde já está comprometido, dificulta a cura e acaba se tornando mais perigoso caso o paciente teste positivo para o Covid.

Casos de depressão dobrou na quarentena / Autor: Juan Pablo Serrano Arenas / Fonte: Pexels

Novos problemas

O isolamento social também trouxe novas preocupações com a saúde física e mental. Dados repassados pela equipe do Guia de Bem Estar apontam que uma pesquisa feita pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) registrou um aumento de 80% em casos de estresse e ansiedade.

Outro novo problema é que o confinamento em casa diminui a exposição à luz solar, por exemplo, e pode causar deficiência de vitamina D. O sol é responsável por cerca de 80% da vitamina que o corpo recebe e a falta desse nutriente impacta diretamente na saúde dos ossos e sistema imunológico.

A quarentena também alterou os hábitos de alimentação familiar, fazendo com que adultos e crianças não comam de maneira saudável. Mas vale ressaltar que a escolha correta dos alimentos mantém e recupera a saúde. É importante priorizar uma dieta rica em alimentos in natura e reduzir o consumo de ultraprocessados.

O equilíbrio com os cuidados em relação ao corpo e a mente é essencial para se manter saudável nesse período de isolamento e ficar menos suscetível aos perigos causados pelo coronavírus.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO