Mais dois homens morrem por covid-19 em Ipatinga

Alex Ferreira


A administração de Ipatinga confirmou, nesta segunda-feira (10), mais dois óbitos decorrentes de complicações por covid-19. As vítimas são do sexo masculino, com idades de 79 e 88 anos. Um dos pacientes foi atendido no Hospital Márcio Cunha e o outro no Hospital Municipal Eliane Martins (HMEM). Com estes novos registros, o total de mortes na cidade, pelo novo coronavírus, já é de 121. O município tem 6.283 casos confirmados e 5.877 já se recuperaram.

Outras cidades

Em Timóteo nenhum óbito foi confirmado nessa segunda-feira, mas o município já conta 53 mortes atribuídas à covid-19, 1.1128 casos confirmados e 630 pessoas recuperadas.

Em Coronel Fabriciano foi confirmado um óbito nessa segunda-feira, o município já soma 39 mortes por covid, 2.286 casos confirmados e 2.035 pessoas recuperadas.

Santana do Paraíso também registrou um óbito na segunda-feira. O município já conta 23 mortes por covid, 1.567 casos confirmados e 1.355 recuperados.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

MAIS FOTOS

Comentários

Bj 11 de agosto, 2020 | 15:36
Isso já estar chato ja todos que morrem e de covid!!! Nem fazem autópsia oq adianta a cidade de ipatinga fecha os comercio 3 dias da semana e quando abri akele centro fica igual um formigueiro!!! As pessoas de Ipatinga sai daki e vai lá pra coronel Fabriciano que porra de insolamento esse isso e só pra enganar a sociedade tropa de hipócritas!!! Igual o jogo de domingo goias e são paulo 10 jogador do Goiás testou positivos e os outros jogadores não pega não são imune ao virus sendo que os cara trenao todos os dias juntos só 10 que pegaram pelo amor de deus para com essa mentirada pq já estar feio...
Jane 11 de agosto, 2020 | 12:01
Neneco, todos os caso de pessoas conhecidas sobreviventes ou mortas que tiveram a COVID, testaram positivo para o vírus, além dos sintomas clássicos de falta de ar por uma espécie de fraqueza pulmonar, uma fraqueza que asfixia. outras doenças que asfixiam costuma causar sensação de afogamento, as pessoas que conheço que tiveram COVID de forma mais grava, inclusive jovens sem comorbidades, relataram uma tosse insistente, que não cessa hora nenhuma e nem com um xarope e muito cansaço para aspirar e expirar o ar. Parecida com a coqueluche, quem teve sabe como é. Muita gente reclama que a memória fica ruim depois da alta. Na maioria das outras doenças a falta de ar tem um "estilo" diferente. Mas houve casos que não teve falta de ar, somente uma febre um pouco mais intensa, sinusite e dor de cabeça de média a severa. E a média de morte subiu. Nunca perdi tanta gente conhecida em tão curto espaço de tempo. Toda semana recebo uma má notícia. Está claro que são mortes que talvez não ocorreriam tão brevemente se não fosse a ação diferenciada deste vírus.
Neneco 11 de agosto, 2020 | 07:54
Que a doença existe isto é nítido, mas que toda e qualquer morte devido ao fato de enterrar sem autópsia vira covid é notório. Covid política.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO