Pela primeira vez, ipatinguense celebra Dia dos Pais como pai

Arquivo pessoal


Jairo da Silva Fernandes relatou sua experiência ao se tornar ''pai de primeira viagem''
(Tiago Araújo - Repórter do Diário do Aço)
Celebrado no segundo domingo do mês de agosto, o Dia dos Pais é uma data marcada pela demonstração de carinho, amor e gratidão dos filhos aos seus pais. Para muitas pessoas é um dia aguardado com expectativa, principalmente, para aqueles que irão comemorar pela primeira vez essa data como protagonistas. Esse é o caso de Jairo da Silva Fernandes, de 31 anos, que se tornou pai esse ano. Ele tem uma filha de três meses, chamada Luísa.

Em entrevista ao Diário do Aço, o ipatinguense contou como foi se tornar pai e quais são os desafios enfrentados no atual cenário, já que sua filha nasceu no dia 2 de maio deste ano, quando a pandemia de covid-19 já havia sido decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). “Para mim, foi bastante desafiador me tornar pai. Até mesmo porque eu não tinha ideia do que poderia acontecer diante desse cenário de pandemia. Lembro que íamos ao hospital e o médico não dava uma certeza se o vírus poderia atingir a criança ou não. Além disso, o hospital era o lugar que nós menos deveríamos ir, mas quando precisava, eu ficava super neurótico e muito tenso. Tomava todos os cuidados necessários, como passar álcool em gel, usar máscara e evitava encostar em qualquer coisa, assim como minha esposa fazia. Quando chegava em casa, eu já tirava roupa e colocava para lavar. Ficava com muito medo”, lembra.

Parto

Jairo também relata que, durante a gravidez de sua esposa, o plano era que fosse parto normal, porém, foi preciso fazer uma cesárea. “Na época, em que faltava duas semanas para o nascimento da Luísa, falei para o médico que não iria esperar, porque fiquei com medo de passar esse tempo e depois não ter mais vaga nos leitos do hospital devido à pandemia. O médico entendeu a minha preocupação e da minha esposa, e concordou que o parto fosse cesárea. Enfim, deu tudo certo. A Luísa nasceu bem e com saúde, graças a Deus”, disse.

Susto

Na entrevista, Jairo lembra um susto que passou, após o nascimento da sua filha, ao descobrir que um colega de serviço dele tinha sido infectado por coronavírus. “Há um mês, eu tive contato com quem testou positivo no meu serviço. Quando fui informado acerca disso, eu estava justamente na casa dos meus sogros. Como a Luísa é a primeira neta deles, não estávamos privando que eles tivessem contato com ela, até mesmo para ajudar a reduzir a ansiedade deles durante essa quarentena. Entretanto, quando estávamos na casa deles, recebi uma mensagem de que meu colega de serviço tinha testado positivo e que eu teria que fazer o teste para covid. Meu chão caiu na hora. Fiquei muito preocupado. Minha menina nem tinha tomado todas as vacinas ainda. Entretanto, fiz o exame e deu negativo, e fiquei bem aliviado”, salienta.

Mudança na rotina

Com o nascimento de Luísa e com a pandemia, Jairo e sua esposa tiveram que fazer uma mudança na rotina. “Antes, eu e minha esposa sempre fazíamos compras juntos no mercado, mas agora ela não sai para comprar nada, só eu que vou. Isso foi algo que mudou bastante, porque eu tive que me virar para fazer compras sozinho, mas sempre quando vou ao mercado, passo álcool em gel e uso máscara, além de outros cuidados. E quando chego em casa, já coloco a roupa para lavar”, afirmou.

Restrição nas visitas

Jairo também relata que foi preciso tomar uma decisão difícil, que foi restringir os visitantes que queriam conhecer sua filha, incluindo a sua própria mãe, que mora no Estado de Espírito Santo. “Ela queria vir para Ipatinga para ver a Luísa quando nasceu, mas pedi para que não viesse, porque ela trabalha em padaria e tem contato com muitas pessoas, por isso achei melhor ela não vir. Até hoje ela não conheceu a neta pessoalmente. No entanto, meu plano é levar a Luísa para o Espírito Santos nas minhas próximas férias, para conhecer a avó. Acredito que a pandemia já vai ter melhorado até lá, caso contrário, espero mais um pouco”, contou.

Dificuldade

Jairo também ressalta que, devido à pandemia, teve dificuldade de encontrar um pediatra para atender sua filha durante esse cenário. “Está sendo muito difícil para conseguir uma consulta com um pediatra. Alguns pararam de atender por causa da pandemia, o que dificultou muito. Com isso, ficamos muito preocupados, ainda mais por sermos pais de primeira viagem. Não sabíamos o que fazer, mas com muita dificuldade, conseguimos um médico para fazer o acompanhamento”, contou.

Expectativas

No decorrer da semana, em que se aproximava o Dia dos Pais, Jairo conta que ficou ansioso com a data especial, já que desta vez faria parte do público homenageado. “Estou muito empolgado em comemorar pela primeira vez o Dia dos Pais, como pai. Quero aproveitar muito bem esse dia com a minha família. Vou fazer de tudo para ser um bom pai para minha filha e que ela tenha orgulho de mim”, concluiu.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Fitipaldy 09 de agosto, 2020 | 16:11
Que reportagem interessante. Ser pai pela primeira vez. Toda emoção é única e pessoal....
Ana Paula 09 de agosto, 2020 | 12:52
Que lindo cunhado Deus está cuidando dessa família linda ??

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO