Dnit libera mais sete quilômetros de pista duplicada na BR-381

O Ministério da Infraestrutura, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), liberou, nesta segunda-feira (3), mais sete quilômetros de pista duplicada na BR-381, próximo ao município de Nova União. O trecho está localizado entre o km 411 e o km 418, próximo à ponte do Engenho Velho. Somente este ano, já são 28 quilômetros de pista duplicada entregue ao tráfego pelo Dnit. Em 2019, foram liberados mais 7 quilômetros. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, participou da inauguração do trecho. As informações são do Dnit sede, em Brasília.

A partir da entrega desse novo segmento, o lote está com mais da metade das obras previstas concluídas. De um total de 37,5 quilômetros, 22 quilômetros de pista duplicada já estão abertos ao tráfego. Também foram finalizadas as 11 obras de arte especiais previstas (OAE) neste trecho: seis pontes, dois viadutos e três passarelas para travessia de pedestres.

“As obras de duplicação e modernização da BR-381, que incluem a diminuição do raio de algumas curvas, ou a eliminação das mesmas, vão aumentar a segurança dos usuários da rodovia e contribuir para o desenvolvimento da economia da região”, destacou o diretor-geral do Dnit, general Santos Filho.

O Dnit é responsável por quatro de um total de 11 lotes das obras de duplicação e melhoramentos na BR-381 no segmento localizado entre Belo Horizonte e Governador Valadares, na região leste de Minas Gerais. Os lotes 3.2 e 3.3 já foram concluídos pela Autarquia. Com 28,6 quilômetros de extensão, o lote 3.1 apresenta 12,7 quilômetros contínuos de pista duplicada concluídos, incluindo os túneis Antônio Dias e Prainha. Os demais lotes da BR-381 também passarão por obras de duplicação, mas o processo será realizado por meio do programa de concessão desenvolvido pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura.

Ao longo do segmento da BR-381 que será duplicado, localizam-se no Vale do Aço e importantes cidades, como Governador Valadares, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e João Monlevade. A duplicação também facilitará o acesso ao complexo portuário de Tubarão (ES) e o fluxo de importação/exportação.

Divulgação



Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Kleber Barbosa Júnior 08 de agosto, 2020 | 14:04
Sr Renan desmemoriado... ou praticante de má-fé... a duplicação foi iniciada no governo Dilma que assinou a ordem de serviço para o início das obras em solenidade no Parque Ipanema em Ipatinga no dia 12 de maio de 2014, ou seja, 4 anos e meio antes do início do desgoverno Bolsonaro. Stalin, o ditador da URSS comunista, também tinha como prática apagar os registros dos feitos de governantes anteriores, como o sr.Renan acabou de fazer no seu "comentário".
Geeraldo Magela Vieira 05 de agosto, 2020 | 09:08
O fato é se não fosse iniciado nos governos anteriores, não seria iniciado pelo governo atual, tanto é que o governo atual não iniciou nenhum dos lotes que estão parados, pois bastaria convocar a empresa que ficou em segundo lugar no momento em que foi realizado as licitações. O projeto do governo atual é penalizar a população, entregando para a iniciativa privada a concessão da rodovia e a um preço alto, pois já foram divulgados os valores e só Deus sabe quando a iniciativa privada irá terminar as obras, pois na maioria das estradas que foram privatizadas as concessionárias não estão cumprindo o que foi acordado e o governo nada faz para puni-las.
Renan 05 de agosto, 2020 | 01:29
É de duvidar, tamanha cara de pau de gente assim. Rs !!! Assim como mtos eleitores da besta barbuda, atacam sem argumentos. Só pra te lembrar, está duplicação vem sendo prometida desde o governo FHC, mas que se escancarou no últimos 10 anos depois das promessas do PT em fase de precampanha pra atrair voto. Depois do circo montado, começavam os cortes de verba e posteriormente acumulavam processos judiciais por parte das empresas contratadas. Esse é o legado que foi deixado. Fora as inúmeras mortes ao longos dos anos que poderiam ter sido evitadas com as obras. Simples assim !!! Não se espera mto dessa corja do passado. O problema do ?esperto? é achar que todo mundo é bobo. Querem subestimar a inteligência do brasileiro. Repito, aceita que dói menos ;)
Raphael 04 de agosto, 2020 | 18:49
É só tocar o berrante que o gado vem urrando kkkkkk
Renan 04 de agosto, 2020 | 07:44
Raphael, vc tinha que ter vergonha em falar uma asneira dessa. Esta, assim como outras grandes obras, que fazem parte da obrigação dos governos, ainda que idealizadas por governos diferentes, por anos serviram apenas pra lavar dinheiro e iludir os mineiros e demais cidadãos brasileiros que esperam está duplicação. Aceita que dói menos !!! Vc briga é por um partido e não por uma nação !!! Basta !!!
Raphael 03 de agosto, 2020 | 22:06
Inaugurar obras idealizadas pelo grande Lula é muito fácil, né bozo?

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO