Prefeito de Fabriciano nega que UTI Covid esteja interditada

Informação que circulou nas mídias sociais no fim de semana foi desmentida por Marcos Vinícius

Wôlmer Ezequiel


Conforme informou o prefeito, situação com máquina de hemodiálise foi resolvida na sexta-feira

A informação de que a UTI do hospital Dr. José Maria Morais, em Coronel Fabriciano, havia sido interditada e não poderia mais receber pacientes de covid-19, foi desmentida pelo prefeito Marcos Vinícius Bizarro (PSDB), em matéria veiculada pela rádio Itatiaia Vale 97,1 FM, na manhã deste sábado (1º). A notícia do possível impedimento na unidade foi propagada nas mídias sociais na noite de sexta-feira (31), acompanhada de um print, que trazia a proibição de receber pacientes até que fosse regularizado o serviço para atendimento em assistência clínica nefrológica.

A postagem na cidade que está com o comércio aberto em horário estendido, com a maior flexibilização de abertura durante a pandemia de covid-19 entre os municípios do Vale do Aço gerou grande celeuma.

Mas, em nota enviada à imprensa, a assessoria de Comunicação afirma ser fake news (notícia falsa) e diz que lamenta mais uma mentira envolvendo o hospital Dr. José Maria Morais. “Uma unidade hospitalar séria e que vem prestando um relevante papel em Coronel Fabriciano e região. A assessoria da prefeitura de Coronel Fabriciano vem a público para esclarecer que é infundada a notícia de que existem pacientes morrendo por falta de hemodiálise e que o hospital será interditado pela falta dos equipamentos. Foi notificado devido a um problema técnico registrado na máquina que realiza o procedimento. Em tempo, informamos que o aparelho já recebeu os reparos necessários e que foram adquiridas mais três máquinas de hemodiálise, conforme consta no empenho realizado pela secretaria de Governança da Saúde. Vale ressaltar que o hospital Dr. José Maria Morais se tornou referência na prestação de serviço em enfretamento à covid-19 e mesmo com uma dívida do governo do estado de R$ 12 milhões com o município, não deixou de prestar um atendimento humanizado aos seus pacientes”, afirmou a assessoria.

Num áudio, o prefeito Marcos Vinícius admitiu que houve um problema na quinta-feira (30) na máquina de hemodiálise, usada no tratamento para quando os rins do paciente deixam de funcionar. “Isso só para a fase aguda de algum problema renal, porque se for fase crônica a referência no Vale do Aço é o Hospital Márcio Cunha, mas sempre temos um equipamento de apoio na Unidade Terapia Intensiva, até que saia vaga no hospital de referência. Mas na sexta-feira já havíamos resolvido o problema e não precisamos transferir nenhum paciente por esse procedimento. Compramos três máquinas e estamos esperando chegar nos próximos dias. Foram adquiridos com recurso próprio e sem ajuda do governo do estado”, salientou.

O chefe do Executivo fabricianense ressaltou que os mesmos interessados em fazer intervenções no hospital são os que devem para o hospital quase R$ 12 milhões e aqueles que pedem, a todo o momento, para ampliar o número de leitos. “O que vamos fazer agora é não ampliar, porque são suficientes para nossos pacientes. Para que vou ampliar para atender a demanda da regional de saúde, sendo que ela vem penalizar sempre o hospital? Não paga suas dívidas e ainda quer penalizar o hospital, sendo que a referência deles no Vale do Aço, para hemodiálise, é o HMC e não o José Maria Morais. A gente lamenta essa coisa que a oposição está falando e deixo um recado a eles, já que lá está interditado, vocês estão falando que está interditado, não vão pra lá”, avisou.

Covid-19

O prefeito acrescentou que o hospital não vai mais aceitar pacientes com covid-19 de outras cidades, até que o governo estadual quite os R$ 12 milhões que deve ao município. Segundo o prefeito, são R$ 5 milhões de dívidas contraídas em 2018 e mais R$ 7 milhões em pagamentos não efetuados pelo estado ao hospital no ano passado. Também frisou que os pagamentos das parcelas de 2020 estão em dia. O prefeito afirmou que vai pedir o descredenciamento de leitos e que vai fechar para não atender ao governo estadual. Ele acredita na criação de factoide para prejudicar sua gestão por causa de ano eleitoral. E disse ainda à Itatiaia que a relação do município com o governo de Minas e com a Superintendência Regional de Saúde está estremecida “com certeza”.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

José Antônio da Silveira Drumond 02 de agosto, 2020 | 11:45
Dr. Marcos Vinícus, um médico sério e trabalhador, que tem até o presente momento como Prefeito na direção do nosso Cel. Fabriciano demonstrado ter a competência necessária para geri-lo que os anteriores não tiveram,muito pelo contrário. É a oposição, tão nefasta ao nosso Brasil, que querem assumir novamente nossa bela Cidade e aquí novamente ficar suas garras. Continua tendo a minha confiança e o meu voto Sr. Prefeito, está de parabéns.
Camila Almeida 02 de agosto, 2020 | 07:44
Estamos em um ano eleitoral. Infelizmente, notícias falsas, para denegrir a imagem do atual Prefeito e que por sinal, tem realizado um excelente trabalho, irão surgir! Estamos contigo Prefeito!
Elio Roberto Madeira 01 de agosto, 2020 | 18:52
Isto e conversa fiada da opsicao nao liga dr marcos estamos com sr

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO