Força-tarefa realiza novas remoções de veículos nas ruas de Ipatinga

Divulgação


Foram recolhidos veículos em situação irregular na avenida Macapá, no bairro Veneza, além do residencial Ayrton Sena, Canaãzinho e Tiradentes

Pouco mais de um mês após realização a primeira ação, que resultou em 20 carros apreendidos, a administração de Ipatinga executou nesta quinta-feira (30) a segunda força-tarefa para remoção de veículos abandonados em áreas públicas da cidade. Desta vez, foram recolhidos veículos em situação irregular na avenida Macapá, no bairro Veneza, além do residencial Ayrton Sena, Canaãzinho e Tiradentes, entre outros locais, detalhou o governo.

O trabalho é realizado por agentes das secretarias municipais de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma) e de Segurança e Convivência Cidadã (Sescon). A apreensão está sendo viabilizada graças a um convênio assinado pelo Executivo com o Estado, via Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG).

Os servidores das duas secretarias mais uma vez foram acompanhados de perto por representantes da Polícia Civil, que coordena o trabalho de guinchamento. Os veículos não retirados pelos proprietários em tempo hábil são recolhidos ao pátio credenciado.

"Alguns proprietários, assim que são notificados, acabam fazendo por conta própria a retirada. Outros costumam apenas mudar o carro de local, tentando burlar a fiscalização, mas estamos atentos a isso. Quando suspeitamos de tal fato, imediatamente indagamos o proprietário para que apresente provas de que o veículo está realmente numa garagem," explicou Agnaldo Bicalho, responsável pela Sesuma.

Feita a remoção do veículo, seguida do encaminhamento ao pátio credenciado, uma equipe da concessionária dos serviços de limpeza pública no município providencia o recolhimento de entulho e lixo nos locais em que o carro se encontrava. Algumas vezes, é necessária também uma capina.

A população pode ajudar denunciando os infratores – mesmo que anonimamente – por meio do telefone 156.

A ação

Os veículos propensos a guincho são aqueles que, mesmo após notificação e autuação pela administração, o dono não promoveu a retirada num prazo de até cinco dias.

Após a apreensão, para conseguir retirar o veículo levado ao pátio o proprietário deverá realizar o pagamento dos débitos e ainda providenciar a manutenção necessária. Só assim eles estarão regularizados. Caso isto não ocorra em 30 dias, o veículo será destinado a leilão.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Cidadão 31 de julho, 2020 | 12:26
Na avenida Pero Vaz de Caminha, no bairro Bom Retiro, há uma carreta parada acumulando água na lona a mais de 6 meses. Foi realizada a comunicação para o departamento da prefeitura, por diversas vezes, sem que fosse tomada a devida providencia. Questão de saúde pública!
Esperança 30 de julho, 2020 | 22:24
No bairro esperança e vila formosa também ( sem esquece dos animais na pista nesses dois bairros tem cavalo na via pública todos os dias quando acontece um acidente não aparece o dono do animal )
Bethânia 30 de julho, 2020 | 16:35
Na rua Messina, no Bethânia, tem uma coleção de carros velhos encostados na rua. Deviam passar lá também.
Amadeu 30 de julho, 2020 | 15:38
Boa tarde,
O pessoal que está fazendo esse trabalho, poderia dá uma passada no Iguaçu. Na região do ferro velho ..aquilo ali é uma vergonha..cartão postal .

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO