UPA de Coronel Fabriciano realizou 1,6 mil atendimentos em um mês, informa administração

Divulgação


Balanço do governo leva em conta o período de 26 de junho a 23 de julho

A UPA 24h de Coronel Fabriciano completa um mês de funcionamento e o balanço dos atendimentos revela que no período de 26 de junho a 23 de julho mais de 500 casos graves classificados em amarelo, laranja e vermelho, segundo o Protocolo de Manchester, foram atendidos na unidade. Na soma geral foram, 1.635 atendimentos, o que dá uma média superior a 58 pacientes por dia. As informações são do governo fabricianense.

A administração municipal lembra que a UPA tem como foco socorrer pacientes em estado de urgência e emergência. Pacientes classificados na cor verde integram o público que deve se dirigir a uma UBS, onde a estrutura não sofreu alterações. Um paciente que não está em estado grave e ocupa a vaga de um acidentado, infartado ou com qualquer outro diagnóstico de urgência ou emergência desvirtua o objetivo da UPA, aponta o governo.

Rosana Rocio, Gerente da Unidade de Pronto Atendimento, ressalta que a UPA é porta aberta. A estrutura médica garante assistência imediata e com todos os recursos necessários. Rosana conta que, ainda na noite da inauguração, a UPA teve quatro atendimentos de urgência. “Isso demonstra a confiança da população na unidade e a certeza de que o investimento era mais do que necessário. A população acreditou na palavra do prefeito e até hoje tivemos um fluxo excelente. Então nós consideramos um sucesso a vinda dessa unidade para Coronel Fabriciano porque salvamos mais de quinhentas vidas já neste primeiro mês”, disse.

A UPA 24h de Coronel Fabriciano é do Tipo II e tem capacidade para atender até 250 pacientes por dia, mas o foco é a urgência e emergência. A internação no local deve ser em período curto, no máximo 48 horas. Após ser estabilizado, o paciente é transferido para o Hospital Dr. José Maria Morais ou para outra unidade regional indicada pelo SUS Fácil, de acordo com a avaliação do caso, se é de média ou alta complexidade.

A Secretária de Governança da Saúde, Kátia Barbalho lembra que a UPA é um instrumento chave no sistema de saúde municipal fazendo a ligação entre os serviços de urgência e emergência como suporte ao Hospital Dr. José Maria Morais. “Nossa avaliação deste primeiro mês é muito positiva, visto que a unidade teve um grande volume de atendimentos de casos graves. Com a UPA nós demos um salto de qualidade no socorro aos nossos munícipes e capacitamos nossa cidade com o que há de mais avançado em medicina emergencial”, resumiu Kátia.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO