Retomada de feiras livres, cinemas, eventos e museus em Minas será avaliada

Tiago Araújo


A expectativa do governo mineiro é conseguir voltar com as atividades de feiras livres no menor tempo possível

Com o intuito de oferecer uma maior previsibilidade para retomada de setores que foram excluídos do plano Minas Consciente do governo do Estado, como feiras livres, cinemas, eventos e museus, uma nova versão do programa será elaborada nos próximos dias. Conforme o modelo atual do plano, essas atividades só poderão ser retomadas quando houver controle da pandemia da covid-19, por representarem alto risco com grande aglomeração de pessoas e maior possibilidade de contágio.

Em entrevista coletiva, realizada na sexta-feira (24), o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), João Pinho, afirmou que o novo modelo do programa, que contará com sugestões de prefeitos e população, deverá ser lançado em até dez dias. "Quando lançamos o plano, três meses atrás, estávamos subindo nossa curva, com ascensão de casos confirmados e óbitos e, hoje, como estamos aproximados a um outro momento, de platô, e esperamos que, em breve, de descendência do número de casos, precisamos verificar se a estratégia de momento é adequada para esta segunda etapa", explicou.

Atividades excluídas

Conforme João Pinho, uma das questões que está em análise é exatamente sobre algumas atividades que foram excluídas do Minas Consciente no primeiro momento. “Quando lançamos o plano, estabelecemos quatro ondas (verde, branca, amarela e vermelha), que agrupavam algumas atividades econômicas conforme o risco e o impacto econômico, e eventos de qualquer porte, atividades de turismo, como museus e cinemas foram excluídos dessas ondas, porque o governo entendeu que eram atividades com risco muito grande naquele momento. Nesse processo de revisão, estamos avaliando como dar mais previsibilidade a esses setores para que eles possam se programar", disse.

Feiras livres

Em relação às feiras livres, o chefe de gabinete da SES informou que apesar de terem relação com setor essencial, já que envolve uma atividade de venda de alimentos, as questões sanitárias também precisam ser avaliadas, por mais que seja uma atividade ao ar livre. “Estamos nesse momento revendo essa situação e nos próximos dez dias devemos lançar uma nova versão desse plano e esperamos que ele possa abarcar o setor das feiras livres de alguma forma, dando mais previsibilidade, regras e um norte, para que consigamos voltar com essas atividades no menor tempo possível", afirmou.

Minas Consciente

O programa Minas Consciente setoriza as atividades econômicas em quatro “ondas” (onda verde – serviços essenciais; onda branca – primeira fase; onda amarela – segunda fase; onda vermelha – terceira fase), a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação do novo coronavírus. As mudanças de ondas são avaliadas semanalmente pelo Comitê Extraordinário Covid-19.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO