Contaminação por covid-19 gera mais sete mortes em Ipatinga

A administração de Ipatinga confirmou, nesta quinta-feira (23), sete óbitos decorrentes de complicações pelo novo coronavírus. Tratam-se de cinco pacientes do sexo masculino e dois do sexo feminino, que eram atendidos em unidades hospitalares diversas. Com esses novos registros, os mortos da cidade por covid-19 já somam 86.

Unimed

Dois dos pacientes estavam sendo assistidos no Hospital Metropolitano da Unimed, em Coronel Fabriciano, ambos com resultados de exames positivos para a doença.

Uma das vítimas é uma idosa de 78 anos, moradora do bairro Bethânia. A outra é um homem de 55 anos, morador do bairro Vila Celeste.

Por meio de nota, a Unimed assegurou que aos familiares dos pacientes foram repassadas todas as informações referentes aos quadros clínicos e óbitos posteriores, assim como orientações quanto aos procedimentos a serem adotados nos velórios e sepultamentos.

Hospital Municipal

Um homem de 84 anos, morador do bairro Vila Celeste, morreu no Hospital Municipal Eliane Martins (HMEM), onde era assistido com teste positivo para a covid-19.

Também no HMEM, um homem de 60 anos morreu já com exame positivado para a covid-19. Ele era morador do bairro Veneza.

Outro homem de 60 anos, morador do bairro Bela Vista, com exame positivo para a covid-19, foi atendido após complicações e acionamento do Serviço de Atendimento Móvel Urgência (SAMU), mas acabou morrendo.

Os familiares das vítimas receberam as orientações protocolares quanto aos procedimentos para a realização dos velórios e sepultamentos, informou governo ipatinguense.

HMC

As outras duas vítimas estavam sendo assistidas pelo Hospital Márcio Cunha (HMC). Uma delas trata-se de um homem de 86 anos, morador do Centro. Ele também já tinha exame positivo para a doença.

O último registro de óbito é de uma mulher de 62 anos, moradora do bairro Bom Jardim. Do mesmo modo, ela também teve exame positivo para o novo coronavírus.

Em relação a estes dois últimos pacientes vitimados, em nota enviada ao município de Ipatinga, o HMC assegurou que forneceu às famílias todas as informações quanto às causas das mortes e, de acordo com o protocolo recomendado pelo Ministério da Saúde, repassou as orientações quanto aos trâmites que deveriam ser seguidos nos velórios.

Já publicado

Números oficiais do novo coronavírus (covid-19) no Vale do Aço
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Ana 24 de julho, 2020 | 12:55
Infelizmente não adianta fazer reportagem pra tentar conscientizar. Se não tiver fiscalização com punição severa nada se resolve. Eu tbm acompanhei um enterro por covid-19. É assustador e extremamente triste! Só quem tem empatia é capaz de entender. É triste ver as pessoas valorizando o ter e desvalorizando o ser. Se vc não sofre com o sofrimento do próximo, vc não conhece o amor, muito menos a Deus. Que Jesus volte logo e lave esse mundo fútil. Louvo a Deus pelos q ainda se compadecem!
Rodrigues 24 de julho, 2020 | 11:12
A reportagem atualiza todos os dias na parte da tarde os números de óbitos e infectados pela covid e em todas o bairro Bethânia continua na frente nessa corrida da vida contra a morte.
Mas se vc andar pelas ruas, passar pelo parque Itamaraty,vc verá pessoas andando sem a nossa já inseparável máscara.Mas o pior de tudo são as pessoas que frequentam a feira do Bethânia às quintas.? um descaso o que os frequentadores fazem.Pra eles tudo está normal.Nåo importam se tem alguém em casa e eles passarem a doença para os familiares.
Principalmente os mais jovens.Estes são teimosos e arrogantes.
A prefeitura tem que realizar fiscalização não só na feira, também nos dois carrinhos de espetinhos que ficam em frente ao posto de saúde.Ficam lotados e pessoas sem máscaras e sem o devido distanciamento.
João 24 de julho, 2020 | 01:13
Muito triste... Só quando a gente vê os procedimentos no cemitério para os sepultamentos de Covid19 é que a ficha cai. As pessoas somente entenderão quando visualizarem cenas como as que vi no cemitério. O diário do aço poderia fazer uma reportagem a respeito desses procedimentos para as pessoas entenderem o sofrimento de perder um ente e não poder nem se aproximar da cova. Essa doença para alguns não é nada mas para outros alguns ela não é brincadeira. As pessoas precisam se concientizarem e não relaxar diante desse prolongamento da presença do vírus.
Ana 23 de julho, 2020 | 19:49
Fabriciano liberou geral. Daí os jovens vão lá pros botecos e trazem o vírus pra população de Ipatinga. Inaceitável essa falta de parceria entre os municípios. Ao invés de se unirem pela vida , fazem política.
Marcelão Alves 23 de julho, 2020 | 17:03
Mellyssa, trabalhei com ele. Realmente uma pena. Cara corretissimo e amigo. Meus sentimentos a todos voces familiares e amigos.
Mellyssa 23 de julho, 2020 | 15:42
É muito triste perder um PAI com esse vírus. Hoje enterrei ele o senhor que se trata de reportagem, ele era uma pessoa muito alegre, comunicativa, humilde, honesto entre outros. Com tantas qualidades fica difícil superar essa perda.. Ele foi um exemplo pra mim de guerreiro que lutou contra um transplante de coração e nunca teve rejeição mas por essa doença veio a óbito. Que Deus possa nos confortar e de a ele um bom lugar.
SAUDADES ETERNA!!!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO