Mulher morre em discussão com o companheiro no Alphaville em Timóteo

Homem de 54 anos alega que mulher tentou lhe agredir com uma faca e, ao empurrá-la, a vítima caiu e se feriu com a faca no pescoço

Com atualização de dados às 17gh13
Álbum pessoal


Sidneia Cristina Silva tinha 44 anos

Uma mulher morreu ao fim de uma discussão com o companheiro dela, na tarde de domingo (19), no bairro Alphaville, em Timóteo. O caso foi registrado na rua Elis Regina e a vítima foi identificada por conhecidos como Sidneia Cristina Silva, de 44 anos. O mototaxista Henrique Nunes de Souza, de 54 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar.

As testemunhas informaram aos policiais que o casal tinha constantes desentendimentos e, na tarde de domingo, durante um churrasco na residência, houve a discussão entre a vítima e o homem. Desta vez, terminou de forma trágica a contenda entre os dois.

O mototaxista Henrique Nunes foi encontrado ainda na cena dos fatos e afirmou para policiais militares que a vítima estava de posse de uma faca de serra (de mesa) e teria partido em sua direção. Ela ainda segurava uma corrente com cadeado, utilizado também para agredir o companheiro.

Alega o homem que, num gesto de defesa, empurrou a mulher, que caiu em frente ao portão da casa. Em função dessa queda ela perfurou o pescoço com a faca que segurava. Uma equipe do Corpo de Bombeiros chegou a ser acionada, porém, encontrou a mulher já sem vida.

Alcoolismo

Henrique Nunes, em entrevista ao Diário do Aço, afirmou que fazia um churrasco na área de entrada da sua residência com a sua amásia, Sidneia, com a qual mantinha um relacionamento há quatro meses. “Bebemos três latões de cerveja. Ela veio me pedir para comprar cachaça, mas não deixei sair”, lembrou o mototaxista.

Ele revelou que a mulher tem histórico de alcoolismo e sempre provocava confusão quando ficava alcoolizada. “Tem uns quatro dias que ela quebrou minha televisão”, ressaltou Henrique ao ser apresentado à 1ª Delegacia Regional de Ipatinga pelos policiais militares que participaram da prisão do suspeito do crime.

O mototaxista disse que não teve a intenção de matar a vítima, mas ao empurrar a mulher e tentar se proteger com o portão, Sidnéia se desequilibrou e caiu devido um degrau na entrada para o portão. “Conheci ela nas proximidades da Rodoviária de Fabriciano e a convidei para morar comigo, sair desta vida de ficar pelas ruas”, revelou Henrique.

Insistindo que o caso foi acidental, o mototaxista alegou que poderia ter fugido em sua motocicleta, mas como não teve culpa, ficou para tentar ajudar a socorrer a mulher. “Pedi ajuda, um lençol para tampar o ferimento, mas não teve jeito”, lembrou o homem.

O preso prestou depoimento ao delegado de plantão Vinícius Ferreira e voltou a afirmar a versão de uma morte acidental. Mesmo assim, Henrique foi autuado em homicídio agravado com a qualificadora de feminicídio. Ele está à disposição da Justiça recolhido no Sistema Prisional do Vale do Aço. O caso será investigado pela Polícia Civil, em Timóteo.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

MAIS FOTOS

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO