Administração de Timóteo assina contrato para a gestão de leitos de UTIs no Hospital Vital Brazil

Divulgação


Instituição parceira vai agora adaptar a UTI Neonatal/Pediátrica em UTI Adulta, com a aquisição equipamentos e insumos para viabilizar a abertura dos leitos

O prefeito Douglas Willkys assinou nesta terça-feira (7) o contrato PG 166/2020 com a Organização Social de Saúde (OSS) Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (HMTJ) para a gestão de dez leitos de UTI no Hospital e Maternidade Vital Brazil. O chamamento público que definiu a instituição para gerir os leitos de Unidade de Terapia Intensiva no HMVB contou com a concorrência de três empresas. O contrato é de R$ 470.680,71/ mês por um período de 90 dias, informou o governo municipal.

De acordo com o diretor médico do HMTJ, Gustavo Campos, a partir de agora a instituição vai trabalhar para adaptar a UTI Neonatal/Pediátrica em UTI Adulta, com a aquisição de cabos específicos, equipamentos e insumos para viabilizar a abertura desses leitos para atender exclusivamente pacientes acometidos com a covid-19.

O Hospital Terezinha de Jesus é referência no enfrentamento à covid-19 na região da Zona da Mata, que soma uma população superior a 1,5 milhão de habitantes. Naquela região, está sob a responsabilidade da OSS a gestão de 120 leitos, sendo 100 clínicos e outros 20 de UTI. Os leitos serão regulados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) Fácil.

Contratação

A partir da assinatura do contrato, a OSS inicia o processo seletivo para a contratação de pessoal, que pode ser acessado em http://hmtjfluig.dnsalias.com:8080/portal/1/ps_hmtj. A equipe que vai atender na UTI 24 horas, sete dias por semana, contará com 15 médicos plantonistas nas diversas especialidades médicas como infectologista, nefrologista, neurologista, dentre outros. Além de cerca de 40 profissionais como enfermeiros, técnicos em enfermagem e pessoal da área administrativa.

Para o secretário municipal de Saúde, Eduardo Morais, essa é mais uma etapa vencida da sentença judicial que prevê ao município assumir a operacionalização dos dez leitos de UTI Neonatal/Pediátrica do HMVB. “Assinamos o contrato com a instituição que já está fazendo as contratações dos profissionais e adaptações dos equipamentos, aquisição de insumos e materiais para tão logo colocar à disposição da população mais esses dez leitos da UTI adulto não só para Timóteo, mas para todo o Vale do Aço”, disse.

Entenda

Com o início da pandemia, em meados de março deste ano, foi elaborado um estudo demonstrando que a partir de adaptações e custo baixo seria viável transformar a UTI Neonatal/Pediátrica que está fechada no Hospital e Maternidade Vital Brazil em UTI Adulta. A Prefeitura de Timóteo, a Superintendência Regional de Saúde (SRS), o Ministério Público e a Aperam solicitaram que a Sociedade Beneficente São Camilo, mantenedora do HMVB, colocasse a UTI em operação, haja vista que os recursos para a manutenção da UTI estão garantidos pela Aperam e pelo governo municipal, mas a instituição não aceitou a missão.

O Ministério Público ajuizou uma nova Ação Civil Pública para que o Governo de Estado tivesse a imissão de posse (ato judicial que confere a posse de determinado bem) da UTI. Nesta nova ação Timóteo apresentou uma proposta de acordo assumindo a responsabilidade pela gestão dos leitos, sugestão que foi homologada pela Justiça. Em seguida foi feito um chamamento público que definiu a gestão desses leitos. Após o término da pandemia, a UTI voltará a operar como Neonatal/Pediátrica.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO