Morre ex-goleiro Pipi

Álbum pessoal


Pipi residia atualmente nos Estados Unidos

Faleceu no último domingo (5), em Vitória-ES, o ex-goleiro do Avante, Eup Cantalice Barros, o Pipi. Ele tinha 87 anos, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) durante o fim de semana e acabou morrendo, duas semanas depois de chegar dos Estados Unidos, onde morava há muitos anos.

Depois de atuar profissionalmente no Valério, em Itabira, Pipi veio jogar no futebol amador de Coronel Fabriciano, onde marcou época com a camisa do Avante, nos anos 1970 e 1980. No final dos anos 80, quando já havia parado com o futebol, encerrou as atividades em sua farmácia, no Melo Viana, deixou o Vale do Aço, mudando-se para os Estados Unidos. Por último, dividia seu tempo entre a capital capixaba e a cidade de Boston, no estado americano de Massachusetts, onde residem seus familiares – esposa Clarice, filhos Patrícia e Renato, netos Ana Carolina, Anthony, Sávio, Vinny e Geovanny, a bisneta Cecília Diaz, além de sobrinhos. De acordo com familiares, permanecia seis meses no Brasil e outra metade do ano nos Estados Unidos.

Pipi era irmão do também já falecido padre João de Barros, muito conhecido no Vale do Aço pela sua atuação por décadas em diversas paróquias. Deixa também os irmãos Edmilson, Angélica e Benjamin.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Luiz Guilherme Amaral Junior 07 de julho, 2020 | 20:28
Grande Pipi,deixou um legado maravilhoso e uma história bonita.
Agradeço a ele pela dedicação ao esporte e em especial ao meu Avante do Melo Viana.
Era um amigo e um ser humano "boníssimo"!
Que Deus o receba de braços abertos.
Amantino Andrad 07 de julho, 2020 | 18:46
Obrigado pela reportagem,soube através dela,sou familiar do Pipi

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO