Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu – Comemora 25 anos

Tânia da Costa Rangel Alves *

A Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu (FGPA) comemorou 25 anos no dia 30 de junho de 2020. Sua missão de prestação de serviços nas áreas de ensino, pesquisa, extensão e responsabilidade social, vem ganhando notoriedade ao longo de sua caminhada. Impulsionada pelas exigências atuais, onde as mudanças acontecem a um ritmo cada vez mais acelerado, a FGPA adota novas maneiras de pensar e agir: revisa, inova e busca ferramentas para produzir com rapidez e qualidade seus resultados. Parcerias foram estabelecidas e com um trabalho ousado, do fazer inovador frente a sociedade, a resposta é imediata. Empresas, Instituições educacionais públicas e privadas e prefeituras contam com a Fundação na gestão de projetos, processos seletivos, cursos de capacitação, projetos de pesquisa e extensão, consultorias de gestão educacional, dentre outros.

Na sua trajetória, rompe fronteiras e marca sua presença em vários estados do Brasil por meio de um trabalho educativo continuado, que possibilita a integração entre as dimensões intelectual, comportamental e emocional, de todos os envolvidos de maneira inovadora e criativa.

Todo o trabalho desenvolvido pela FGPA torna-se potencializador com a atuação dos Conselhos Curador e Fiscal, bem como da equipe administrativa e de consultores que, com competência e compromisso compartilham conhecimentos e experiências como também contribuem, efetivamente, com ideias, sugestões e trabalho.

Comemoração significa trazer à memória fatos, acontecimentos e pessoas. Em tempo de comemorar os 25 anos da Fundação, me vem à memória muitas pessoas com as quais tive a oportunidade de conviver e ter como parceiros no dia a dia. Todos, sem exceção, não se furtaram aos chamamentos de participação e envolvimento nas ações e, também, da amizade conquistada. No entanto, necessário se faz, enaltecer duas pessoas que deixaram registros e marcas inigualáveis pelo trabalho educativo, social e cristão na Fundação e em toda a equipe.

O Dr. Geraldo Perlingeiro Abreu, que deu seu nome à Instituição, era um defensor incansável da educação e da formação técnica e moral dos jovens. Ele defendia o direito, a justiça, e a cultura para o progresso humano e social. Professor, advogado, cristão e católico convicto.

D. Lelis Lara, força dinamizadora em favor dos direitos humanos, que sempre primou pela ética e a utilizou na sua vida diária, pessoal e profissional. Exemplo de retidão, honradez, merecedor da admiração de todos aqueles que tiveram a oportunidade de conviver e trabalhar com ele. Como Presidente da Fundação, por longos anos, foi presença marcante e atuante nas tomadas de decisões junto ao Conselho Curador. Conduzia os desafios permanentes, imbuído por um espírito de paz e regido pela sabedoria, perseverança, generosidade, serenidade e gratuidade. Sua presença e confiança depositada no exercício da função refletem, ainda hoje, na importância do papel da Fundação para o desenvolvimento na área educacional, empresarial e social.

Ter tido, a oportunidade de participar dessa Instituição que está sempre atenta à missão de buscar a prestação de serviços ancorada na responsabilidade social, no respeito e em valores éticos e cristãos é motivo de orgulho e reconhecimento.

As palavras do Presidente da FGPA D. Lelis Lara – 2010, expressas abaixo, retratam minha gratidão e agradecimentos. “Senhor, fazei-nos construtores da ordenação que se orienta pela justiça e pela cordialidade, capaz de trazer paz ao mundo. Dai-nos o sentido do equilíbrio dinâmico para que vossa paz esteja nas nossas intenções, nos meios que usamos e nos fins que almejamos” (D. Lelis Lara)

* Professora, presidente do Conselho Curador da FGPA Gestão 2009/2011
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO