Publicado decreto que torna sem efeito nomeação de Decotelli

Marcello Casal Jr/Agência Brasil


Decotelli foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro, mas não chegou a tomar posse
(Agência Brasil)
Na tarde de ontem (30), Carlos Alberto Decotelli, nomeado ministro da Educação na última quinta-feira (25), pediu demissão do cargo. A decisão ocorre antes mesmo de ele assumir oficialmente a pasta, já que sua posse, que estava marcada para as 16h desta terça, foi cancelada.

Nos últimos dias, a imprensa divulgou acusações sobre informações falsas acerca dos títulos acadêmicos de Carlos Decotelli e suspeita de plágio na dissertação de mestrado. Além disso, também foi descoberto que Decotelli não concluiu o doutorado, que informava ter obtido pela Universidade Nacional de Rosario, da Argentina. O próprio reitor da instituição, Franco Bartolacci, negou que ele tenha obtido o título.

Seu título de pós-doutorado também se mostrou falso. A Universidade de Wuppertal, na Alemanha, informou que o indicado a novo ministro não concluiu um pós-doutorado na instituição, ao contrário do que constava em seu currículo.

Decreto

O Diário Oficial da União (DOU) publica hoje (1º) decreto tornando sem efeito o decreto de 25 de junho de 2020, publicado no mesmo dia, em edição no Diário Oficial da União, nomeando Carlos Alberto Decotelli da Silva para o cargo de ministro da Educação.

Decotelli foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro, mas não chegou a tomar posse.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Barrabas 01 de julho, 2020 | 14:31
Alem do corriculo cheio de mentiras mostrou que e tambem irresponsavel as poucas entrevista que deu nao usava mascara.
Isaac Júnior 30 de junho, 2020 | 20:24
Os 10 mandamentos diz: "Não levantar falso testemunho"

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO