Pandemia cresce em Minas Gerais e medicamentos ficam escassos em hospitais

Reprodução


Manchas no mapa mostram a concentração dos casos de covid em Minas Gerais

Os números da pandemia de covid-19 em Minas Gerais continuam em elevação. Dados divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) nessa terça-feira (30) apontam que o estado chegou a 965 mortes atribuídas à doença causada pelo novo coronavírus.

O boletim epidemiológico aponta que o número de diagnósticos positivos aumentou para 45.001. As autoridades de saúde de Minas Gerais trabalham com a projeção do pico da covid para 15 de julho.

Também nessa terça-feira veio à tona a informação oficial que vários municípios relataram escassez de relaxantes e anestésicos essenciais para pacientes mais graves, o que gera apreensão entre profissionais da área, que já estão preocupados diante da ameaça de colapso hospitalar no estado.

O alerta foi divulgado pelo jornal Estado de Minas, que cita como exemplo de situação crítica nos estoques de medicamentos hospitais de Belo Horizonte, cidades da Região Metropolitana de BH e de Montes Claros.
Divulgação


Com estoques de medicamentos em baixa, hospitais ligaram o alerta

O desabastecimento ocorre, segundo divulgaram os profissionais, porque as substâncias estão em falta no mercado e são vendidas a preços altos, atingindo um aumento de 300%, quando disponíveis.

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais informou que tem dialogado com outras secretarias estaduais da área e com o Ministério da Saúde para tentar encontrar solução para reposição de estoques.

De fato, o Ministério da Saúde anunciou na segunda-feira que reforçará a distribuição dos medicamentos para intubação de pacientes que tiveram agravados os efeitos da covid-19.

Mais:
Números oficiais do novo coronavírus (covid-19) no Vale do Aço
Ministério da Saúde: Sobe para 58.314 o total de mortes relacionadas à covid-19
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO