Willame Belfort: lição de piano e arte

Pianista chega à Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil (Acilbras)

Natural de São Luís (MA), com 23 anos de idade, Willame Belfort é maestro, pianista, compositor, preparador vocal, poeta, escritor, pesquisador, professor de música e artista plástico.

É integrante e docente no Núcleo de Atividades de Altas Habilidades e Superdotação Joãosinho Trinta. Desde cedo mostrou talento para várias habilidades.

Divulgação/Arquivo Pessoal


O jovem instrumentista já é considerado um virtuose ao piano
Iniciou os estudos musicais em 2010, em teclas desenhadas por ele em uma folha de cartolina, mas só foi descoberto em 2013, na oficina de piano do Teatro Arthur Azevedo, aonde retornou em 2016, a convite do então diretor da casa, o cantor e produtor cultural Celso Brandão, para atuar como pianista e compositor e lecionar no projeto onde estudara.

Em 2014 foi encaminhado para a Escola de Música do Estado do Maranhão Lilah Lisboa de Araújo (EMEM). Aprovado, foi estudar com a professora Rose Mary Fontoura, com quem ainda aprende.

Estudou harmonia, contraponto e noções de composição com Joaquim Santos, professor, maestro, compositor violonista, pesquisador, luthier, artista plástico e docente na Escola de Música do Maranhão. Estudou regência com Emanuel Martinez, maestro, organista, compositor e pesquisador.

Em busca de se aperfeiçoar, participou de festivais nacionais e internacionais de música, destacando-se como pianista colaborador virtuose. Integrou várias turmas com pianistas conceituados, entre eles Cristian Budu.

Seu currículo mostra trabalhos com músicos nacionais e internacionais de grande prestígio. Entre suas composições para piano-solo, canto e outras formações, algumas já foram interpretadas em outros estados e países e desde 2018 integram o acervo digital do SESC Partituras.

Uma vida em construção
Apesar da jovialidade e de sua formação acadêmica ainda em construção, Willame sempre desempenhou funções que lhe foram confiadas devido ao seu talento e profissionalismo precoce.

Divulgação/Arquivo Pessoal


Willame Belfort mostra sua alegria por se tornar um acadêmico
Integrou bancas de monografias, foi júri em concursos de composição e performance, tem artigos publicados em sites e livros. Com apenas 19 anos, foi o primeiro pianista do segundo teatro mais antigo do país, o Teatro Arthur Azevedo, em São Luís (MA); ministrou piano e música de câmara em diversos projetos sociais e escolas particulares.

Foi pianista colaborador (2015-2019) e professor substituto na Escola de Música do Maranhão e, tocando piano, desfilou pela Escola de Samba Favela, em 2017, no carnaval de São Luís (MA). Focado na didática, está sempre produzindo.

Atualmente integra um duo de piano com o compositor alemão Philipp Mayer, e desde janeiro de 2020 tem angariado inúmeras conquistas literárias de âmbito nacional. Em outubro de 2019 ele foi homenageado pelo Estado de Rondônia, através do SESC Partituras, por seu trabalho como compositor.

No site da Amazon.com.br, lançou o e-book de poesias “O intenso por Extenso”, inspirado e dedicado à sua namorada Louryellen Costa, também escritora.

Agora, o presidente Armando Caaraura, da Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil (Acilbras), conferiu ao jovem maranhense o título de Imortal, indicando-o para ocupar a cadeira de nº 608, um fato inédito para a Academia e o Estado do Maranhão, uma vez que apenas nomes notáveis nos setores da arte, cultura e ciência jurídica são agraciados com o título.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO