Projeto de assistência às vítimas da Covid-19 é lançado em Ipatinga

Iniciativa tem o objetivo de promover o acolhimento social dos contaminados e das pessoas com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus

[imageme]
Um novo projeto social de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (covid-19), de nome “Acolher Ipatinga”, foi lançado na tarde desta sexta-feira (26), na sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), no Centro da cidade. Trata-se de uma iniciativa do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Bens e Serviços (Sindcomércio) do Vale do Aço, abraçada pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida (bairro Iguaçu) e pelo vereador Jadson Heleno, com o objetivo de promover o acolhimento social dos contaminados e das pessoas com suspeita de contaminação pela covid-19, incluindo suas famílias.

Com sede física na nova unidade do Sindcomércio (rua Campinas, 135, Bairro Veneza), o Acolher será responsável pelo custeio ou subsídio de testes para o novo coronavírus – tanto a testagem rápida quanto a PCR –, além do fornecimento de cestas básicas e materiais de higiene e proteção.

“A ideia também é dar orientações técnicas contra a disseminação da covid-19, fazer o acompanhamento dos doentes, inserir as pessoas vítimas da pandemia e que se tornaram desempregadas em um Banco de Empregos e, ainda, encaminhá-las a cursos profissionalizantes e de aprimoramento”, enumera José Maria Facundes, presidente do Sindcomércio.

Já conforme o vereador Jadson Heleno, o projeto é um movimento “não governamental, apartidário e apolítico”. “Formado pela sociedade civil organizada, o Acolher vai garantir suas atividades por meio de doações não financeiras de entidades, empresas e outros parceiros. Nossa meta é criar uma onda solidária que permita o desenvolvimento de uma espécie de Rede de Proteção contra os impactos sociais do novo coronavírus”, explica.

Amparo às famílias
Por sua vez, o padre Aloísio, responsável pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida, afirma que uma das principais atribuições do Acolher é dar apoio aos casos suspeitos e/ou confirmados de covid-19, uma vez que, sem o auxílio da iniciativa privada, fica impossível ao poder público fazê-lo. “Além de buscar amparo alimentar e de higiene para as famílias de baixa renda afetadas pela pandemia, o projeto nasce com o desafio de auxiliar na ampliação do diagnóstico da covid-19 em Ipatinga. A ideia é permitir que as famílias doentes e sociedade em geral tenham mais segurança e tranquilidade para lidar com a situação”, afirma.

Facundes, Jadson e o padre Aloísio lembram que o projeto está completamente aberto no que diz respeito à participação de outros órgãos e entidades, que podem não só colaborar com doações, mas também ser parte integrante da iniciativa. “Basicamente, vamos receber e ir atrás de testes para o novo coronavírus, de cestas básicas, de kits de higiene e EPIs que atualmente estão sendo usados. Com esse ‘estoque’ em mãos, vamos direcioná-lo às pessoas que não estão sendo assistidas e também receber pedidos e filtrá-los. Estamos começando em Ipatinga, mas a ideia é ter o Acolher em todo o Vale do Aço”, complementa Facundes, revelando que já conseguiu consideráveis doações junto ao Serviço Social do Comércio (Sesc). Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone 3821-9020.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Joanas 27 de junho, 2020 | 12:08
E uma excelente ideia.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO