Estação Memória receberá cerca de proteção

A área a ser cercada é de 36,74 metros lineares, com entradas e saídas nas ruas Belo Horizonte e Montes Claros

Wôlmer Ezequiel


O serviço será custeado com recursos do Fundo do Patrimônio Histórico

Como forma de preservação do patrimônio público e em atendimento a uma demanda antiga dos comerciantes do Centro de Ipatinga, a Estação Memória Zeza Souto, localizada na rua Belo Horizonte, receberá uma cerca de proteção. O processo licitatório realizado pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer (Semcel), por meio de pregão eletrônico, foi concluído na última segunda-feira (22). A previsão é que a intervenção, da ordem de R$ 32,9 mil, seja iniciada dentro de dez dias. O serviço será custeado com recursos do Fundo do Patrimônio Histórico.

As orientações fornecidas para o desenvolvimento do projeto de arquitetura, foram elaborados por meio de estudos preliminares, sendo devidamente aprovados pela Semcel e pelo Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Artístico e Cultural de Ipatinga e Secretaria Municipal de Planejamento do município.

Serviço

A cerca de proteção será feita no mesmo modelo da que foi instalada ao redor do prédio da Prefeitura de Ipatinga. A área a ser cercada é de 36,74 metros lineares, com entradas e saídas nas ruas Belo Horizonte e Montes Claros.

A Secretaria de Cultura reforça que durante o funcionamento da Estação Memória, de 8h às 18h, os portões estarão abertos, devendo ser fechados somente à noite e fins de semana, quando o espaço não estiver sendo utilizado. Por ser considerado um museu, atualmente a Estação está fechada em virtude da pandemia do Coronavírus.

Estação Memória

Instalada no centro do lugarejo que passaria a ser a cidade de Ipatinga, a Estação Ferroviária foi construída em 1930, em substituição à Estação de Pedra Mole, que ficava entre os bairros Castelo e Cariru. Através desta Estação Ferroviária é que o carvão era despachado para abastecer os altos-fornos da Belgo-Mineira em João Monlevade e Sabará. O local funcionava também para embarque de passageiros, constituindo-se no único meio de transporte regular para atender os moradores do pequeno aglomerado na ocasião. Até 1950, o trem passava na estação com destino a Coronel Fabriciano no horário de 8h, com retorno às 17h. Por questões técnicas, em 1951 a Estação foi desativada.

Hoje, a Estação Memória “Zeza Souto” funciona como casa da memória da cidade de Ipatinga e guarda documentos (manuscritos, digitais, xerocados), objetos históricos, audiovisuais e fotográficos que enriquecem a história do município.

A Estação funciona também como galeria de exposições de artistas de Ipatinga e região. Dentro de sua programação, a unidade participa também de eventos anuais do Ibram - Instituto Brasileiro de Museus, a “Semana Nacional dos Museus e a “Primavera dos Museus”.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Não Declarado 26 de junho, 2020 | 12:57
Sr. Prefeito agora onde os usuarios deve se instalar? Ta ai a pergunta
Cidadão 25 de junho, 2020 | 15:59
Seria melhor correr com essa mendigada daí. Aliás, VÁRIOS lugares de Ipatinga estão tomados por pedintes e pessoas em situação de rua.
Hans Muller 25 de junho, 2020 | 14:51
Parabens a prefeitura. A muito tempo não tinhamos um prefeito assim.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO