'Prefeitos decidirão fechamento total ou não'

Governador de Minas Gerais, Romeu Zema descarta fechamento total de atividades (lockdown) e joga responsabilidade para prefeitos

Gil Leonardi / Imprensa MG


Romeu Zema descartou lockdown no âmbito estadual sob argumento que 'Ainda temos margem de segurança'

Em pronunciamento ao vivo pelas mídias sociais na quarta-feira (24), na Cidade Administrativa, o governador de Minas Gerais Romeu Zema (Novo) reconheceu o quadro considerado preocupante da pandemia de covid-19 no estado, com um crescimento vertiginoso nos dias anteriores, mas afirmou que o governo estadual não deve decretar o lockdown, deixando a decisão a cargo dos prefeitos em cada município.

Nessa quarta-feira o número de mortes atribuídas à covid-19 saltou de 720 para 771 em 24 horas, no estado. Foram registradas 51 mortes no período, recorde diário desde o início do anúncio da primeira morte em 30 de março.

"Hoje diversas cidades, como Uberlândia, Patos de Minas e Araxá já estão em lockdown. A situação depende de cada região. O estado ainda tem margem de segurança, mas, em algumas regiões, essa margem é maior ou menos. Os prefeitos têm sido orientados a fazer o melhor para deixar a população mais segura. Dificilmente o lockdown pode acontecer no estado, mas regionalmente teremos algumas cidades com casos preocupantes", afirma o governador.

Zema explicou que cada prefeito poderá adotar a melhor política em sua cidade: "Temos que deixar muito claro que essa questão de fechar ou não cada cidade cabe a cada prefeito. Eu, como governador, disse que temos 90% chance de fechar alguma cidade. O estado todo ficar fechado, eu, pessoalmente, acho pouco provável ocorrer. Minas é muito grande, com situações muito diferentes. Temos municípios fechados. Dependerá de como a curva da pandemia vai se comportar", complementa.

O governador também afirmou que a luta contra o novo coronavírus está “apenas no começo” e deve durar até meados de 2021, citando números de Minas Gerais, que segundo Zema estão melhores que em outros estados.

"O fato de Minas estar indo bem na pandemia fez com que muitos mineiros considerassem que o jogo estivesse ganho. Mas nem terminamos o primeiro tempo. Estamos nos 15 a 20 minutos iniciais do jogo. Não dá para facilitar. Temos muitas batalhas. Estamos em combate. A ação de cada pessoa é que vai dar o resultado final dessa luta. A 'guerra' deve terminar o ano que vem, mas ninguém sabe a data", afirmou Zema.

Veja mais:
Pandemia avança e estabilização não se confirma no Brasil, aponta Ministério da Saúde

Fiscalização do uso de máscaras e churrascos



Zema também confirmou que a Polícia Militar vai fiscalizar o uso obrigatório de máscaras no estado, quando as pessoas estiveram em áreas públicas. O governador salientou que a abordagem será educativa, sem a aplicação de multa para quem estiver desobedecendo a regra.

"A Polícia Militar vai abordar as pessoas que não estiverem usando máscaras. O uso passa a ser obrigatório. E vai abordar toda situação em que o distanciamento não estiver sendo obedecido", disse o governador.

A Polícia Militar também vai coibir as aglomerações de pessoas e as festas e churrascos particulares, que prejudicam o isolamento social e facilitam o contágio. De acordo com o coronel Rodrigo Souza Rodrigues, comandante da PM, a população poderá denunciar pelo telefone 190 aqueles que desrespeitarem a orientação de distanciamento social.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Wellington Jose d 26 de junho, 2020 | 13:44
Nas elticoes responderfmos quem nos fecha e fiscdliza PM tem mais oque fazer do que ficar fiscalizando máscara etc... Isso é função da prefeitura a GM tá doidoa pra trabalhar ai!! Vc liga 190 pra socorrer alguém a viatura tá atendendo denúncia de fofoqueiro!!
Marta 26 de junho, 2020 | 09:47
JESUS salva, cura, batiza com ESPÍRITO SANTO e nos leva para o céu. Vamos entrar em oração meus amigos. So DEUS pode nos salvar desse vírus. Não cai uma folha de uma árvore sem a permissão DELE. DEUS não tem prazer no sofrimento de ninguém, mas ELE quer que nos acheguemos mais às coisas do espírito. O mundo está precisando orar. DEUS nos abençoe
Rosa 25 de junho, 2020 | 16:04
Vejo com total insegurança o momento vivido hoje, estamos diante de um caso de saúde pública e se o governador que é um liberal, esta acusando necessidade de Lokdown é porque estudos feitos por ESPECIALISTAS acusaram que é necessário e se não confiarmos em quem é especialista em epidemiologia vamos confiar em que, estão transformando a pandemia em politica, mas os governantes se esquecem de perguntar a população e não a um punhado de comerciantes barulhentos que fazem ameaças aos prefeitos e Governador. É preciso ouvir a população que deve ser devidamente esclarecida sobre a gravidade da situação em nossa região.
Trabalhador Que a Polícia Ignora 25 de junho, 2020 | 12:59
Aí você liga para o 190 e te informam que todas as viaturas estão empenhadas em outra ocorrência e assim que possível vão enviar uma viatura ao local' o problema é que a tal viatura só chega ao local uma semana depois e olhe lá, não vão em quando é denuncia de perturbação do sossego e da
ordem, imagina se vão se preocupar com aglomerações.
Marcos 25 de junho, 2020 | 10:52
Quanto mais rápido voltarmos a normalidade, menos consequências teremos. Falar em "começo de jogo" pra um vírus? como se fosse haver um final definitivo. O vírus H1N1 está ai até hoje. O vírus da Aids também e outros tantos. Já existe tratamento eficaz para fase inicial da doença e também pra avançada, que, afeta segundo a OMS, 10% da população, e mesmo assim com complicações em alguns casos somente. O governador de Nova Iorque constatou que 84% dos internados estavam em casa. Tenho trabalhado desde o primeiro dia e minha funcionária não(sempre em casa). Adivinha quem adoeceu com sintomas leves com teste positivo?
Quer ficar em casa? ninguém está te proibindo. Quer impedir a liberdade individual dos outros, inclusive de subsistência? Cria vergonha na cara seu projeto de tiranete.
Não aguento mais gente histérica e obtusa que se diz defensor da "ciência".
Direitos fundamentais como liberdade de ir e vir, subsistência e livre expressão não podem ser tirados de ninguém, sob nenhum pretexto. Foi o próprio Deus que nos deu isso.
Pablo 25 de junho, 2020 | 10:14
Esse Governador, Romeu Zema, é aquele famoso morde e assopra.
Passou a semana toda afirmando que o vale do aço teria lockdown, agora na hora H, jogou pra cima dos prefeitos. Sendo assim já sabemos qual sera a decisão dos prefeitos do vale do aço.
Elisângela 25 de junho, 2020 | 08:18
Fechar o comércio dito como não essencial não tem sido uma atitude eficaz no enfrentamento da Covid 19 e só olhar os números em Ipatinga. Os comércios ditos como essências como : supermercados ( sempre lotados com famílias inteiras fazendo compras), farmácias ( mesma situação), padarias ( nenhuma norma de distanciamento), açougues, depósitos de material de construção, lojas de elétrica, lojas de bicicletas, borracharias, manicures, cabeleireiros, academias, lojas de tecidos, aviamentos, butecos ( lotados de homens em frente) etc. E os culpados do aumento dos números são os comércios não essências que são : lojas de roupas, calçados, brinquedos, utilidades do lar, móveis e eletrodomésticos? A vida precisa ser preservada sim , mas precisa de se ter um combate eficaz e não atitudes que não resolve nada e ainda trará serias consequências. O povo tem que tomar consciência e valorizar a própria vida.
Brasil 25 de junho, 2020 | 07:54
Parabéns... Cada prefeito decida sobre sua cidade...
Não sou a favor de lockdown...
Paulo 25 de junho, 2020 | 06:53
As últimas eleições serviram pra mostrar uma coisa. Esses salvadores da pátria que se apresentaram com solução para os problemas políticos dos estados e do país são um bando de incompetentes. Ninguém assume responsabilidade, camarada foi eleito pra dar solução aos problemas e empurrar pra terceiros. Francamente só gente desqualificada.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO