Um teatro que faz pensar

Artistas encenam monólogos em casa, transmitidos pelo #EmCasaComSesc

Durante o isolamento social provocado pela pandemia do coronavírus, a série Teatro #EmCasaComSesc vem oferecendo ao público amante do bom teatro monólogos interpretativos transmitidos diretamente da casa dos artistas, sempre aos domingos, segundas, quartas, sextas-feiras.

Cláudio Etges/Divulgação/SescSP


Dinho Lima Flor mostra o caboclo do poeta Zé da Luz, em Ledores do Breu
Promovida pelo Sesc São Paulo, a programação traz importantes nomes da linguagem cênica nacional. Nesta sexta-feira (12), Dia dos Namorados, o ator pernambucano Dinho Lima Flor vai encenar o espetáculo Ledores no Breu.

Inspirada no texto "Confissão de Caboclo" do poeta Zé da Luz, e no pensamento e prática do educador Paulo Freire, a peça trata das relações entre o homem sem leitura e sem escrita com o mundo ao seu redor.

O que é ser analfabeto em São Paulo, nos cruzamentos das capitais do Brasil? Qual o valor da palavra no mundo em que vivemos?

Essas indagações estão em xeque e jogam luz no paradoxo entre a cultura da escrita como porta-voz, que representa não só um desejo de emancipação, mas também um mecanismo de exclusão e demarcação de fronteiras sociais se apoiando em preconceitos linguísticos. A direção é de Rodrigo Mercadante, e a classificação indicativa é livre.

Noelia Najera/Divulgação/SescSP


Jhonny Salaberg fala do genocídio da população jovem, negra e periférica
No domingo (14), o ator e dramaturgo Jhonny Salaberg, fundador do coletivo O Bonde, grupo de pesquisa do teatro negro e diásporas contemporâneas, vai apresentar uma versão adaptada da premiada peça autoral "Buraquinhos ou O vento é inimigo do Picumã".

O texto aborda o genocídio da população jovem, negra e periférica por meio do realismo fantástico. Narrado em primeira pessoa e dirigido por Naruna Costa, o monólogo aborda a trajetória de um menino negro - morador do bairro Guaianases, Zona Leste de São Paulo, que corre o mundo inteiro com uma sacola de pães nas mãos depois de se chocar com um policial branco.

Até o momento, o Teatro #EmCasaComSesc apresentou 15 espetáculos e teve mais de 42 mil visualizações. Já passaram pela série os artistas Celso Frateschi, interpretando a sua autoral Diana; Georgette Fadel, em Terror e Miséria no Terceiro Milênio, de Bertolt Brecht; Sérgio Mamberti em Plínio Marcos, Um Homem do Caminho.

Ester Laccava apresentou Ossada; Jé Oliveira mostrou a autoral Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens; Gustavo Gasparani em Ricardo III, de Shakespeare; Lavínia Pannunzio com Elizabeth Costello; Grace Passô interpretando Frequência 20.20; Denise Weinberg em O Testamento de Maria.

E ainda Ailton Graça com Solidão; Cacá Carvalho em O Carrinho de Mão in A Poltrona Escura; Bete Coelho interpretando Mãe Coragem; Gero Camilo em A Casa Amarela; Eduardo Mossri com Cartas Libanesas e Cláudia Missura em Paixões da Alma.

Saiba mais em sescsp.org.br.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO