''Pretos no Enem'': movimento reúne voluntários para pagar inscrição do Enem de candidatos negros

Até ontem, 08, o grupo contabilizou mais de 20 mil voluntários

Divulgação


O grupo é responsável por unir a vontade das madrinhas e padrinhos ? como é chamado quem se disponibiliza a pagar um ou mais boletos ? aos estudantes que por algum motivo não conseguiram a isenção da taxa de inscrição

Em meio a protestos antirracistas em vários países nos últimos dias, no Brasil o movimento voluntário “Pretos no Enem” está reunindo pessoas que se disponibilizam a pagar a taxa de inscrição de pessoas negras no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020.

A iniciativa surgiu após a publicitária e podcaster Lyara Vidal, de 24 anos, publicar em seu Twitter que pagaria a inscrição de dois candidatos, ao ver a notícia de que mais de 300 mil inscritos não haviam efetuado o pagamento de RS 85 até a data limite, que agora prorrogada para até amanhã, dia 10.

A atitude de Lyara inspirou o advogado Luan Alencar e mais 60 voluntários que cuidam de todas as etapas do “Pretos no Enem”. Até a manhã de ontem (8), mais de 20 mil voluntários já tinham se disponibilizado a pagar as inscrições. “O único critério é a confiança mútua. Se você se identifica como uma pessoa negra e não conseguiu pagar sua inscrição do Enem, basta entrar em contato com a gente e o pagamento será feito de acordo com a quantidade de voluntários que forem chegando”, explica Luan.

O grupo é responsável por unir a vontade das madrinhas e padrinhos – como é chamado quem se disponibiliza a pagar um ou mais boletos – aos estudantes que por algum motivo não conseguiram a isenção da taxa de inscrição.

O grupo “Pretos no Enem” atesta de forma criteriosa a veracidade dos boletos antes de encaminhar, por e-mail, às pessoas que se voluntariaram. “Não há transferência de dinheiro, taxa ou qualquer movimentação financeira. O que existe é a emissão do boleto de inscrição do Enem que checamos a autenticidade”, reforça Luan Alencar.

No perfil do Instagram do projeto, além de explicar como todo o movimento é tocado, há relatos de quem conseguiu ter a inscrição paga, como o da Maria, de 56 anos, que pretende através do Enem terminar a faculdade de Serviço Social. “Sou negra, professora aposentada por invalidez. Tentei a isenção e, por algum motivo, não consegui. Vocês podem me ajudar a realizar esse sonho de voltar para a faculdade e terminar o Serviço Social que não pude terminar há 25 anos atrás, mas sonho todos os dias com esse momento mágico”, comemora.

Como se tornar um padrinho ou madrinha do Pretos no Enem?

O grupo explica que é bastante simples. Basta preencher um formulário, clicando aqui, informar a quantidade de boletos que pretende pagar e outros dados. Feito isso, a equipe fará a ponte entre um candidato do Enem, enviando o boleto por e-mail após verificar a autenticidade do documento. Após efetuar o pagamento, o voluntário precisa enviar o comprovante para o “Pretos no Enem”.

Como ter um boleto pago?

Os inscritos no Enem que querem ajuda para o pagamento da inscrição precisam, apenas, enviar uma mensagem no perfil do Instagram do “Pretos no Enem” clicando aqui. Após o envio do boleto, o grupo fará o contato com um padrinho ou madrinha. Com o boleto pago, o contato com o inscrito será retomado para o envio do comprovante.



(Roberto Paim – Agência Educa Mais Brasil)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Rodrigo 16 de junho, 2020 | 14:05
Gente, eu sou negro e não concordo com isso. Um absurdo ! Esses movimentos negros, envergonha toda classe negra, com esse vitimismo. Quer dizer que os negros podem ter cotas, isenções e etc, já os brancos não ?

Gente, olhem os negros que me inspiro: Will Smith, Oprah Winfray, Obama e Michele Obama entre outros. Exemplos que não agem como vítimas para ser Superior aos outros !

Isso tem que acabar no Brasil, igualdade á todos !
Ailson 15 de junho, 2020 | 16:04
concordo plenamente com ZOIO DE ZOIAR.

Na minha família tem um monte de moleques BRANCOS e "POBRES", e não aparece nenhum ativista para pagar a inscrição do ENEM pra eles.

Será porque ???? eles por serem brancos e pobres não merecem ser ajudados ????

Não tem algo errado ai não ????

Porque não olhar a condição FINANCEIRA ao invés da cor da pele ????

Zoio de Zoiar 12 de junho, 2020 | 20:42
É por que todo branquinho nasce rico. Isso sim é preconceito, dá a entender que todo negro é pobre, miserável e sem condição, e isso não é verdade.
Cidadão 12 de junho, 2020 | 02:01
O governo já toma suficiente do meu dinheiro. Tá difícil pra todo mundo. Sorte de quem pode se vitimizar assim o tempo todo.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO