Três pessoas são presas por venda de cocaína no Universitário, em Fabriciano

Envolvidos usavam uma praça para comercializar a droga aos interessados na noite desta segunda-feira

Divulgação Polícia Militar


Os papelotes de cocaína estavam em poder de uma jovem presa em flagrante

Três suspeitos de tráfico de drogas ilícitas foram presos na noite de segunda-feira (1) na praça José Maria de Man, no bairro Universitário, em Coronel Fabriciano. Os detidos estariam envolvidos com a venda de cocaína no local, usando ainda um bar para tentar despistar a polícia. Toda a situação foi repassada de forma anônima ao telefone 181, do Disque Denúncia Unificado (DDU).

As equipes sob o comando do tenente Noé, do Tático Móvel do 58º Batalhão da Polícia Militar, desencadearam a operação para confirmar as denúncias da comunidade. Os policiais viram um casal, identificado depois como M.G.M.A, de 23, e a J.S.D., de 26 anos. Os suspeitos faziam contatos com os usuários de drogas e a jovem ia com o “cliente” para o bar que pertence a N.A.S.M., de 19 anos.

Inclusive, observaram os policiais, a jovem N.A. saía sempre do bar para ver se havia alguma viatura policial se aproximando. O cliente que foi atendido por J.S. foi abordado, J.J.M.S., de 21 anos, e com ele encontrado um papelote de cocaína. Com a confirmação do crime, os outros policiais abordaram o casal suspeito.

Em poder da jovem J.S. foram encontrados 48 papelotes de cocaína e um pino contendo a droga, além de R$ 270. Os PMs apreenderam no bar diversas sacolinhas plásticas usadas para embalar entorpecentes e R$ 160 com a comerciante. O tenente Noé ressaltou que o tráfico ocorre nas proximidades do Centro Universitário do Unileste.

Os PMs foram até a casa de J.S. onde encontraram pinos usados para acondicionar cocaína, balança de precisão e uma agenda com anotações da venda da droga. Ela contou que chegou à praça com 28 papelotes, mas diante das vendas, M.G.M. foi até a residência pegar mais pó, porção vendida a R$ 20.

O imóvel da jovem presa também era usado como um pequeno laboratório, local utilizado para desdobramento da coca comprada por ela. A presa usava um liquidificador para misturar ácido bórico, xilocaína ou cafeína para aumentar a quantidade adquirida. Todo o esquema foi filmado pelos PMs. Todos os envolvidos foram encaminhados para a delegacia de Polícia Civil.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO