Timóteo adota novas restrições para o comércio

Feira livre do bairro Timirim está suspensa e comércio terá que adotar medidas para evitar circulação do coronavírus


Tenda em frente a agência da Caixa deverá atuar para evitar aglomerações no ato do pagamento de benefício emergencial

Entraram em vigor nesta segunda-feira(1), os efeitos do decreto 5.298, que dispõe sobre as posturas para o funcionamento do comércio em Timóteo, frente o Estado de Calamidade causada pela pandemia da covid-19.

As deliberações saíram de uma reunião do Comitê de Enfrentamento ao coronavírus, realizada na noite de 28 de maio. O objetivo das ações, informa o comitê, é tentar desacelerar o contágio pelo coronavírus, que faz elevar a demanda por leitos hospitalares por parte das pessoas que têm complicações de saúde decorrentes da infecção.

O último balanço oficial da covid-19 na cidade (divulgado domingo à noite) aponta que Timóteo tinha 90 casos confirmados, 331 casos foram examinados e descartados, confirmados 46 casos e 14 pessoas foram recuperadas. Uma pessoa morreu.

Com a proposta de frear a contaminação, conforme o decreto baixado pelo prefeito Douglas Willkys, o funcionamento de restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos dessa natureza somente poderá ocorrer por entrega em domicilio (delivery) ou retirada pelo cliente, pois está vedado o consumo no local.

Os clientes poderão ir buscar alimentos, mas não poderão servir-se (self-service). Um funcionário, com a devida proteção, poderá escolher os alimentos.

Estão suspensas as atividades das clínicas de estética, clubes, saunas, quadras e campos de esportes. O comércio lojista segue funcionando das 10h às 16h nos dias de semana e das 9h às 13h aos sábados. Houve o pedido para o fechamento das lojas, mas não foi acatado.

Bares, botecos e similares precisam permanecer fechados e a exemplo das lanchonetes poderão atuar com a entrega em domicílio ou retirada na porta.

A feira livre do bairro Timirim, realizada às quintas-feiras e domingos estará suspensa por tempo indeterminado.

As eventuais filas nos estabelecimentos deverão ser organizadas pelos estabelecimentos, obedecendo-se a distância mínima de dois metros entre as pessoas. A lotação não deverá ultrapassar 50% da capacidade de pessoas.

Entre outras medidas, estabelecimentos que fazem atendimento ao público devem disponibilizar álcool em gel para higienização das mãos e equipamentos, como máquinas de cartão, carrinhos de compras e outros.

Os proprietários dos estabelecimentos também deverão garantir a utilização de máscaras pelos empregados durante todo o período de funcionamento do comércio. Permanecem proibidas as apresentações musicais. Veja aqui a íntegra do decreto 5.298

Tenda e rua interditada

Entre as novas determinações está a instalação de uma tenda, de 10x10 metros, nas proximidades da agência da Caixa Econômica Federal, tanto na sede ao lado da prefeitura, quando no bairro Centro-Norte.

Também serão ofertadas cadeiras no local, para os clientes da agência que têm sido em número elevado.

Além disso, a rua 31 de Maio, entre a alameda 31 de Outubro e a rua 12 de Outubro foi interditada. A medida foi tomada para evitar aglomeração de pessoas na calçada em frente a agência da caixa até o dia 14/6.

Nesse período de pagamento do auxílio emergencial ofertado a profissionais autônomos, informais e microempreendedores que perderam renda com a pandemia de covid-19, estima-se que centenas de pessoas irão para o local diariamente.

Veja também:
Números oficiais do novo coronavírus (covid-19) no Vale do Aço

Templos religiosos

No município, os templos religiosos deverão seguir recomendações dos órgãos de saúde e das autoridades sanitárias, implementando medidas de prevenção da contaminação pelo novo coronavírus.

Além de ofertar álcool em gel aos frequentadores e exigir o uso de máscaras, a lotação máxima deverá ser na proporção de uma pessoa a cada cinco metros quadrados da área do local de culto.

Penalidades

O descumprimento do decreto pode gerar multa e, em caso de reincidência, cassação do alvará de localização e denúncia ao Ministério Público.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Corona 01 de junho, 2020 | 23:58
Bom se os supermercados e os bancos não tiverem um.controle melhor nada vai resolver. Pq infelizmente esses estabelecimentos estão um caos. E academia; salão de beleza e bares não são essenciais a população , vamos fechar em quanto a tempo prefeito Douglas.
Curto e Franco 01 de junho, 2020 | 14:37
Se os supermercados continuarem a abrir dessa forma desorganizada nunca vai parar com esses vírus
Juju da Conceição 01 de junho, 2020 | 14:24
Eu e minha Dona gostamos muito da feira do Timirim.Parabenizo ao diário do aço por nós manterem bem informados!
Janice Alves 01 de junho, 2020 | 13:33
Boa tarde,e os supermercados nao merecem atenção dos governantes?pelo menos fechar duas hrs mais cedo não vão deixar nada a desejar,os funcionários por mais seguranças são seres humanos e com famílias.por favor olhe eles com carinho...boa adminstracao

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO