UBS's de Ipatinga adotam novos critérios de atendimento em função da covid-19

As salas de vacinas e de curativos são uma exceção, e seu funcionamento prossegue dentro da normalidade

Divulgação


Usuários serão avaliados por uma equipe de saúde e terão atendimento e encaminhamento caso necessário

Diante da necessidade de novas ações preventivas para minimizar o avanço do novo coronavírus na cidade, a Secretaria de Saúde de Ipatinga informa que a partir da próxima segunda-feira (1) as 21 Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) do município irão sofrer alterações no atendimento à população. O objetivo é restringir ao máximo o número de acolhimentos nas UBS’s, evitando aglomerações e outras situações propícias a contágio.

As salas de vacinas e de curativos são uma exceção, e seu funcionamento prossegue dentro da normalidade.

A diretora do Departamento de Atenção Básica (DAB), Cíntia Barbeta, explica que aqueles pacientes que estejam em situação que não requeira isolamento social e necessitem ir até alguma unidade para casos de urgência ou emergência serão avaliados por uma equipe de saúde e terão atendimento e encaminhamento caso necessário.

“Não estamos suspendendo os atendimentos das Unidades Básicas. O que a Secretaria de Saúde está realizando é uma alteração no sistema convencional de atendimento, visando justamente à segurança da comunidade. Nos últimos dias, Ipatinga tem registrado um crescimento exponencial no número de casos positivos e vem enfrentando uma alta taxa de ocupação dos leitos”, esclareceu.

Coronavírus

Mesmo com as restrições de atendimento, cada Unidade Básica de Saúde mantém disponível uma equipe da Estratégia Saúde da Família (ESF), que é a referência em atendimento à covid-19. Esses profissionais ficam em um lugar isolado dentro da unidade, onde permanecem paramentados para o atendimento exclusivo das demandas de coronavírus, explica a Secretaria.

Atendimentos

Pacientes crônicos que estejam com estado de saúde controlado terão as consultas suspensas. Para aqueles que apresentem quaisquer sintomas, o atendimento ocorrerá por agendamento.

Outra restrição é para os recém-nascidos. Somente serão agendados os atendimentos para consultas aqueles que apresentarem risco, ou seja, doença grave ou algum tipo de deficiência.

Os exames preventivos serão suspensos, exceto para aquelas mulheres que necessitam de sua realização em caráter de urgência.

O município mantém o atendimento de pré-natal para mulheres grávidas. Contudo, estão sendo avaliadas as orientações preconizadas pelo Ministério da Saúde até o nascimento do bebê.

“Com todas essas restrições, a orientação é que as pessoas que precisem realmente ir à UBS levem acompanhante somente em casos de extrema necessidade. Além disso, devem usar máscaras e respeitar as demarcações de solo para distanciamento”, orienta Cíntia Barbeta.

Farmácia

Atualmente, existe uma nota enviada pela assistência farmacêutica que prevê a extensão da validade de receitas. Essa é uma prática já adotada pelas UBS’s, para evitar que o paciente precise se deslocar até a unidade.

Porém, se mesmo com a extensão do prazo houver necessidade da troca de receitas, a recomendação é que o paciente deixe a receita na unidade e depois retorne para buscá-la. Essa medida é para evitar que o munícipe permaneça esperando pelo serviço dentro da unidade, informa a Secretaria de Saúde.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Nando Cotta 29 de maio, 2020 | 11:28
Permitam-me fazer um breve desabafo sobre o momento dos ACS's em Ipatinga.
Conforme a matéria acima, agora todos os ACS's vão ficar dentro das unidades de saúde.
Bacana! E trágico ao mesmo tempo.
Sou atendido pela unidade da foto, e nesta unidade não tem um local apropriado para os profissionais ficarem.
Ele estão renegados a uma área nos fundos da unidade, onde também são atendidos os casos suspeitos de coronavírus.
A meu ver, esta solução não resolve, visto que em outros setores da prefeitura, estão realizando o revezamento e intercalando os dias para trabalho, afim de evitar aglomeração.
Não entendo porque alguns devem ficar em casa para evitar aglomeração e outros são obrigados e se submeterem ao risco (aqui me refiro a área da saúde).
Outro ponto a ressaltar é a falta de EPI's para este profissionais, que no dia a dia estão em contato direto com os usuários.
Ouvi relatos de ACS's de outras unidades, afirmando que as mascaras de uso diário são adquiridas por eles para poderem trabalhar, e que não é permitido utilizarem mascaras de tecido reutilizável.
Me pergunto que tipo de empresa é esta, onde os funcionários devem utilizar determinado EPI para se protegerem devido a uma pandemia e não têm acesso ao mesmo. Ou quando tem, este deve ser reutilizado infinitamente vezes, ate que rasgue ou não tenha mais condições de uso, mesmo este EPI sendo descartável.
Alexandre Vieira 29 de maio, 2020 | 06:57
SÓ UMA QUESTÃO, ESPERO QUE NÃO SEJA PARA QUEREREM INFLAR OS NÚMEROS, O PAÍS JÁ ESTÁ SENDO DESTRUÍDO POR TANTOS CORRUPTOS EM TANTOS ESTADOS E MUNICÍPIOS, QUE AQUI NÃO VENHA SER UMA CIDSDE ASSSIM. DEUS NÓS FARA MAIS FORTES E MAIS HUMANOS APÓS ESSE PERÍODO DIFÍCIL FO CORONAVIRUS.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO