Supermercados são cobrados a cumprir regras de prevenção à covid-19

Conforme os decretos em vigor, supermercados e congêneres devem adotar um total de 21 regras sanitárias

Divulgação


Encontro na Prefeitura de Ipatinga reuniu representantes do setor e autoridades locais

Convocados pela Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), representantes do setor supermercadista em Ipatinga compareceram à prefeitura, na manhã desta segunda-feira (25), para uma reunião de advertência e recomendações. No encontro, autoridades do poder Executivo, Ministério Público e Polícia Militar cobraram maior rigidez no cumprimento dos decretos que regulamentam o funcionamento do segmento em função da pandemia do novo coronavírus.

Conforme os decretos em vigor, supermercados e congêneres devem adotar um total de 21 regras sanitárias. “Nós estamos com fiscais trabalhando durante o dia, tarde e noite. Nosso principal foco agora é a limitação do número de pessoas dentro das unidades, uma para cada cinco metros quadrados, considerando nesta conta os funcionários e desconsiderando os espaços ocupados”, observou o secretário da Sesuma, Agnaldo Bicalho.

No mesmo sentido, o promotor de Justiça e curador da Saúde no município, Rafael Pureza, alertou para a necessidade de funcionários na porta dos estabelecimentos para realizar este controle. “Uma forma eficaz para esse controle é o acesso por meio de senhas. Lembrando que também é responsabilidade da unidade comercial o controle das filas externas”, disse.

O prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, que esteve presente na reunião, se mostrou preocupado com a situação da doença no Brasil, apesar da situação ainda relativamente controlada no município. “Nós fechamos o comércio totalmente, num primeiro momento, como um cuidado necessário e inadiável, já que não tínhamos um indicador da condição real dos casos suspeitos. Agora estamos conseguindo testar. Então percebemos um avanço no número de casos e, pior, há uma lotação de mais de 80% em nossos leitos de UTI/SUS. Nossa cidade é referência para atendimento de 14 municípios pactuados na microrregião. Precisamos ter atenção para evitar o estrangulamento do nosso sistema de saúde”, concluiu.

Ainda durante a reunião, Agnaldo Bicalho lembrou que o município estará realizando rígida fiscalização das normas para o setor. “Nós estamos trabalhando para garantir a saúde pública. Não queremos chegar ao ponto de multar. Mas se preciso for, faremos, assim como, se erros contínuos colocarem em risco a vida de nossos cidadãos, poderemos cassar o alvará de determinado estabelecimento”.

A multa por descumprir os decretos municipais pode chegar a 100 UFPI’s (Unidade Fiscal Padrão de Ipatinga), o que equivale a cerca de R$ 12 mil.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Adriano 26 de maio, 2020 | 09:45
O coelho diniz do Iguaçu está ficando em uma situação alarmante.
Indignada 26 de maio, 2020 | 08:20
Prezados, não tenho visto fiscalização no coelho Diniz do Iguaçu , vejo um monte de gente amontoadas no açougue e nos caixas . inclusive fui fazer compra esse mês fiquei 40 minutos em uma fila com um monte de gente aglomerado , poucos caixas em pleno sábado de manhã quando fui falar com a frente de loja ela só respondeu assim que não podia fazer nada.
Shesheu 25 de maio, 2020 | 20:05
E as regras para as feiras livres, quais são? Quantas pessoas por metro quadrado? Acho que não passaram as informações para os feirantes, pra ontem no Canaã estava uma farra!!! Podia tudo, menos preocupar com o Covid19. Quanta hipocrisia.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO