Campeonato Mineiro pode ter semifinal e final com jogos únicos

A opção de fazer semifinal e final em partidas únicas encurtaria em duas datas o Estadual, já que ainda são necessárias seis datas para terminar o certame

Bruno Cantini


Federação Mineira de Futebol estuda novo formato para reduzir as datas do certame
Durante uma transmissão ao vivo pelas mídias sociais, o presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Adriano Aro, disse que o Campeonato Mineiro será encerrado dentro de campo. Para isso, a federação estuda fazer semifinal e final com partidas únicas, ao invés dos tradicionais jogos de ida e volta.

“Pelo que tenho visto e pelas conversas que tenho tido com a Secretaria de Saúde, e sendo realista, diria que na primeira semana de junho (o Estadual pode ser retomado). Mas tudo depende do cenário, pois a volta não depende só do governador. É importante esclarecer isso. Além do governador, o prefeito tem que dar o aval também”, explicou Aro. “Em BH eu tenho conversado com o prefeito Alexandre Kalil e ele disse que aqui não teremos a volta do futebol tão cedo”. O Estadual está paralisado desde março, por causa da pandemia de covid-19.

A opção de fazer semifinal e final em partidas únicas encurtaria em duas datas o Estadual, já que ainda são necessárias seis datas para terminar o certame. Aro destacou a importância de terminar o Mineiro em campo, até mesmo por causa dos direitos de transmissão. “Trabalhamos com a hipótese de término do Mineiro, até porque as equipes já receberam integralmente o valor da cota da televisão. E, por contrato, elas são obrigadas a cumprir um número mínimo de jogos. Claro que tudo isso será feito se tivermos condição de saúde para todos”, comentou.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Paulo César Fialho 25 de maio, 2020 | 10:06
O Kalil não aprova a volta do futebol mas autoriza a abertura de shoppings populares. Não entendo esta lógica. Isto me sugere que tem dedo da China também nesta decisão já que 90% dos produtos ali vendidos importados da China, sem falar na imensa quantidade de orientais que dependem da abertura destes estabelecimentos tão aglomerativos quanto um jogo de futebol.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO