E o Cruzeiro desandou de vez

Aurélio Caixeta

Divulgação


Aurélio Caixeta
Sem dinheiro, sem crédito com órgãos internacionais e com fama de “caloteiro”, o Cruzeiro vive uma crise sem precedentes em sua história quase centenária. Rebaixado para a Série B pela primeira vez em sua existência, nem começou a jogar e já foi penalizado com a perda de seis pontos, devido ao não pagamento de uma dívida cobrada pela Fifa em nome de um clube árabe. E ainda tem outras dívidas semelhantes vencendo.

O pior é que, mesmo o promissor, bom advogado e grande cruzeirense Sérgio Santos Rodrigues tendo sido eleito presidente para o mandato tampão até 31 de dezembro, os números das contas do clube não são de animar a sofrida nação azul.

Para piorar ainda mais esse quadro, aparece o técnico Mano Menezes, para mim um dos responsáveis pela queda do time devido à sua teimosia em poupar jogadores, e que, num momento crítico desses, entrou com uma ação na justiça cobrando 5,3 milhões do Cruzeiro.

O Conselho Gestor que assumiu o clube depois da renúncia de Wagner Pires é recheado de pessoal de bem, todos muito bem intencionados, mas com pouca experiência em dirigir um clube do tamanho do Cruzeiro. Por isso mesmo já está sendo acusado de omissão, no caso da perda desses seis pontos, o que mostra o buraco administrativo em que o clube está metido.

A única coisa concreta e bem feita pelo Conselho Gestor foi a proposta de alteração de estatuto, que, se for aprovada em assembleia, poderá trazer algumas melhorias para o clube no futuro, ou ao menos evitar desmandos administrativos como os vistos nos anos anteriores. A proposta é ter um instrumento moderno, que atenda a um clube empresa, esperando-se que o mesmo já esteja funcionando em 2021, o ano do centenário.

GALO SE PREPARA
O Atlético reiniciou os seus treinamentos físicos em grupos de cinco jogadores, um dos quais era formado por Diego Tardelli, Marquinhos, Bruno Silva, Otero e o goleiro Matheus Mendes. O treinador Jorge Sampaoli ainda fez trabalhos específicos com o setor ofensivo, com ênfase nas finalizações. E assim as coisas começam a se engrenar por lá. Os defensores alvinegros também trabalharam, e o grupo formado por Réver, Gustavo Henrique, Maílton e Fábio Santos recebeu atenção especial do técnico.

AMÉRICA
O atual líder do Campeonato Mineiro foi o time que mais contratou nessa fase de paralisação, com oito, ao todo. A última foi a do zagueiro Anderson, que veio do Bahia por indicação de técnico Lisca. Tudo isso porque o Coelho pretende que, na volta dos jogos, possa manter a liderança e conquistar o título de campeão estadual, fato que não se repete desde 2016.

BASQUETE EM DESTAQUE
Lembrando aqui dos bons tempos do basquetebol da Usipa, então dirigido pelo técnico Ricardo Antunes Acácio, o Testa, e do jogador Waltinho (Walter Monteiro), dois nomes importantes dessa época de ouro. Waltinho participou do grupo que disputava vários campeonatos e que chegou a ser campeão mineiro em 1980, em Patos de Minas, em cima do até então imbatível Minas Tênis Clube. O jogador foi criado no Bairro Imbaúbas, irmão do Robinho e Serginho e filho dos saudoso Walter Monteiro e de dona Zuzu, e nunca se desligou do basquetebol, que pratica desde criança. Formou-se em educação física e transformou-se no professor Walter, que faz um destacado trabalho como técnico de categorias de base em Juiz de Fora.

UMAS E OUTRAS...
O presidente do Galo está sonhando. Ele disse que com a crise vivida pelo Cruzeiro, os torcedores vão migrar. Ele só esquece que cruzeirense de verdade não muda de camisa. E se algum mudar, jamais será para o Galo. Pode tirar o seu cavalinho da chuva, presidente.

O Ipatinga, com a participação da Mega Esportes, está revitalizando e construindo campos e quadras no CT do Cariru. Mas sobre o futebol, até agora nada, nada, incluindo notícia sobre a quitação dos salários em atraso.
Contatos com a coluna: e-mail – caixeta.aurélio@gmail.com.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO