PL que autoriza o funcionamento da UPA 24h e da Maternidade é enviado à Câmara de Coronel Fabriciano

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA - 24h) é do Tipo 2, está localizada na avenida Maanaim, no bairro Silvio Pereira II e terá capacidade para atendimento de 250 pacientes por dia

Divulgação


Se aprovado, tanto a UPA quanto a Maternidade poderão ser inauguradas em breve

O prefeito de Coronel Fabriciano, Marcos Vinicius, enviou em caráter de urgência à Câmara Municipal, o Projeto de Lei que autoriza o funcionamento da UPA 24h e da Maternidade do Hospital Dr. José Maria Morais (HJMM). Se aprovado, tanto a UPA quanto a Maternidade poderão ser inauguradas em breve e o município poderá dar início ao processo de contração de profissionais, que deverá será feito por meio de processo seletivo.

“O projeto já está na Câmara e eu espero que a oposição não obstrua ou cancele para que você, cidadão, não perca esses equipamentos importantes de saúde. Vamos ficar de olho, pois o projeto precisa ser aprovado com urgência. Se houver alguma intervenção não conseguiremos inaugurar a UPA ou a maternidade ainda este ano”, afirmou o prefeito.

UPA

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA - 24h) é do Tipo 2, está localizada na avenida Maanaim, no bairro Silvio Pereira II e terá capacidade para atendimento de 250 pacientes por dia. O objetivo é atender pacientes de urgências diminuindo as filas nos pronto-socorro do HJMM – hospital José Maria morais. A UPA vai oferecer estrutura simplificada, com raio-x, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação.

Seu objetivo é concentrar os atendimentos de saúde de complexidade intermediária, compondo uma rede organizada em conjunto com a Atenção Básica e a Atenção Hospitalar. Desta forma, a população terá melhor atendimento à saúde, com menor fila no pronto-socorro do hospital, além de aumentar a capacidade de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Maternidade HJMM

A reforma, adequação e ampliação da maternidade foram iniciadas em Março de 2020 com o objetivo de implantar o serviço, desativado há mais de uma década. A iniciativa vai por fim ao drama das mães fabricianenses assistidas pelo SUS que precisavam recorrer aos hospitais de cidades vizinhas para “dar luz” aos seus filhos.

A nova maternidade contará com centro obstétrico com duas salas para partos, berçário, consultório para as puérperas e recepção. Serão seis leitos de pré e pós-parto em duas enfermarias; uma sala de PPP (pré-parto, parto e puerpério - PPP) com banheira para realização de parto humanizado e individual, mais um leito de isolamento. A estrutura será suficiente para fazer até 250 partos/mês.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Rosaria Alves 21 de maio, 2020 | 22:11
Não moro em Fabriciano,mas torço para que tudo dê certo,para proporcionar à população mais assistencia e dignidade.Me lembro que a Maternidade é uma promessa de campanha do atual Prefeito.
De Olho na Cidade 21 de maio, 2020 | 19:41
VAMOS TORCE PARA QUE JOGADAS POLITICAS DA OPOSIÇÃO NÃO DESARTICULE A INAUGURAÇÃO DESSE GRANDE LEITO HOSPITALAR, QUE ALÉM DE BENEFICIAR A POPULAÇÃO IRÁ DESAFOGAR O HOSPITAL..

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO