Equipe de reportagem de TV é agredida em Barbacena

Empresário, dono de uma fábrica de massas na cidade, bateu em cinegrafista e acabou preso

Reprodução de vídeo TV Integração


Equipamentos foram danificados por empresário enfurecido que atacou repórter em Barbacena

Uma equipe da TV Integração, que atua na Zona da Mata mineira, foi agredida nesta quarta-feira (20) em Barbacena, durante a gravação de uma reportagem. Os casos de agressão e ameaças contra profissionais da imprensa vêm se repetindo em vários lugares. Esse é o terceiro episódio de agressão física em menos de 15 dias.

No caso dessa quarta-feira, uma repórter e um cinegrafista estavam na rua Santos Dumont, no bairro São José, onde a equipe captava imagens da Escola Preparatória de Cadestes do Ar (Epcar), para a produção de uma matéria sobre casos de covid-19 entre os militares.

No momento em que imagens eram registradas, um homem parou o carro e começou a agredir verbalmente os jornalistas. Em seguida, ele avançou sobre o repórter cinematográfico Robson Panzera e tomou o equipamento de gravação e reagiu à tentativa do jornalista de recuperar o material.

Com o tripé de câmera, o homem que tem de 54 anos atingiu o cinegrafista e depois chutou a câmera. Em seguida, saiu do local e foi embora de carro. Após o ocorrido, o repórter cinematográfico da emissora afiliada Rede Globo foi levado para a Santa Casa de Misericórdia de Barbacena para ser atendido.

O agressor foi identificado como Leonardo Rivelli, empresário e dono de uma fábrica de massas na cidade, que foi localizado pela Polícia Militar, preso e levado para a delegacia de Polícia Civil para prestar depoimentos.

O advogado do empresário, Pedro Possa, informou à imprensa local que o cliente dele preferiu não se pronunciar sobre o assunto. Já a defesa irá se manifestar somente em inquérito ou em um possível eventual processo.

Após ser ouvido pela polícia, o empresário Leonardo Rivelli pagou fiança de R$ 1.000 e foi solto no fim da tarde de quarta-feira. Segundo a Polícia Civil, ele vai responder pelos crimes de dano qualificado e lesão corporal.

Pedro Possa é um dos advogados de defesa, que trabalhou no caso de Adélio Bispo de Oliveira, que está preso por ter esfaqueado o presidente Jair Bolsonaro, em setembro de 2018.
Reprodução de vídeo


Empresário não quis apresentar a sua versão para o ocorrido, segundo seu advogado

Ferimentos

O jornalista Robson Panzera teve lesão no dedo e um corte na mão. Após atendimento, o profissional foi liberado no meio da tarde desta quarta-feira. O cinegrafista informou que gravava imagens quando o agressor chegou filmando a situação. O empresário passou a gritar palavras ofensivas e partiu para a agressão logo na sequencia

Notas

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) publicou nota segundo a qual repudia o ocorrido. No texto a associação diz que: "Nada justifica tamanha violência contra um cidadão, em especial, quando se trata de um profissional da imprensa, em pleno exercício da atividade jornalística. Fecha aspas. A associação também pede às autoridades uma rigorosa apuração do caso e punição do agressor".

Colegas

Jornalistas que atuam na região do Campo das Vertentes emitiram uma nota de repúdio sobre o ocorrido. Segundo pronunciamento, "é com indignação que os veículos de Barbacena e região receberam a notícia que a equipe da TV Integração foi alvo de agressões físicas".

Ainda conforme os jornalistas, "Discordar faz parte do jogo democrático, a imprensa nunca foi e nunca será imune ao erro, por mais que use critérios rigorosos na apuração através de seus manuais de redação. Para toda insatisfação, há a pluralidade [...] A agressão nunca é alternativa".

Amirt

A Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt) também emitiu nota repudiando a agressão. A associação lembrou que "o numero de agressões contra profissionais de imprensa subiu 54, 07% de 2018 para 2019, sendo o Sudeste a região com mais casos registrados. A entidade não aceita que mais casos como este fiquem impunes em nosso país e pede que as autoridades tomem todas as medidas cabíveis para mudar esse cenário".

UFJF

Em nota, a Diretoria de Imagem Institucional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) se solidarizou com o repórter cinematográfico da TV Integração, Robson Panzera. "A Diretoria repudia todo e qualquer ato de violência contra a classe jornalística e reitera a defesa do pleno exercício da atividade jornalística".

A instituição ainda ressalta que "em momentos como este, quando o papel da imprensa é ainda mais imprescindível para que todos os cidadãos se informem e sejam capazes de exercer seu pleno direito à cidadania, assistimos à escalada da violência contra os jornalistas, incitada por governantes que não respeitam a liberdade de imprensa e o direito à informação".

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Cidadão Honesto 21 de maio, 2020 | 11:08
Carla Gomes, onde fala na reportagem que o Bolsonaro mandou agredir alguém? Quanta ignorância hein. OBS. Não sou apoiador do Bolsonaro ou qualquer outro político, aliás nem gosto de política.
Alexandre 21 de maio, 2020 | 10:32
TODO TIPO DE VIOLÊNCIA É INACEITÁVEL, MAS FATO É, QUE A GLOBO TEM DESGASTADO A POPULAÇÃO, A POPULAÇÃO JA ESTÁ PRESA EM CASA, SEM EMPREGO,E A GLOBO FICA O TEMPO TODO INFERNIZANDO DIZENDO: FICA EM CASA, MAS OS FUNCIONÁRIOS DELA TODOS TRABALHANDO PARA DENEGRIR A POPULAÇÃO. AI NA HORA APARECE A ASSOCIAÇÃO AMIRT, PARA REPUDIAR A AÇÃO DO CIDADÃO, MAS ELA NÃO VAI AO ENCONTRO DAS LIDERANÇAS DE OUTROS ESTADOS REPUDIAR O QUE A FOLHA DE SAO PAULO, GLOBO E DEMAIS EMISSORAS DE TV OU JORNAIS ESCRITOS TEM FEITO, EM OMITIR VERDADES, INFLAR MENTIRAS E ATACAR QUEM PENSA DIFERENTE. É UMA INVERSÃO DE VALORES. NÃO DIGA QUE NÃO AVISEI, SE O PAÍS TORNAR UM CAOS 50% E POR CAUSA DE JORNAIS MENTIROSOS E VEREMOS O BRASIL QUE TEM UMA POTÊNCIA DE SER GIGANTE, SENDO DESTRUÍDO POR QUEM É DO TIME: "QUANTO PIOR MELHOR."
Gildázio Garcia Vitor 21 de maio, 2020 | 09:45
"Sem liberdade de imprensa e de expressão não há Democracia" . O presidente tem pedido aos empresários para não fazerem propaganda nos jornais e canais de TV que não lhe dão apoio irrestrito, tomando como base essa ideia de jerico, sugiro não adquirirmos produtos de empresários que agridem jornalistas.
Brasil 21 de maio, 2020 | 07:59
As pessoas estão cansadas de ver e ouvir as manipulações dessa emissora, não se trata de partido politico mas sim de intolerância a um noticiário que faz tudo para manipular as pessoas apresentado sua ótica das coisas e muitas vezes bem distorcidas.
Não sou a favor da violência, mas infelizmente essa emissora esta tirando o Brasil do sério...
Souza 21 de maio, 2020 | 07:00
Estamos vivendo um momento de intolerância generalizada, se você não compartilhar as mesmas ideias de quem você está próximo você já é chamado de comunista, ladrão,fora da lei, a começar pelo por Brasília, todos os finais de semana com caminhadas, agressões,e ninguém toma providências, até quando teremos que assistir estás barbaridades, já basta de tanto ódio.
Carla Gomes 21 de maio, 2020 | 05:34
Isso já está passando dos limites. Histeria coletiva, incentivada pelo líder, o Mito, no cercadinho de horrores todas as manhãs em Brasília. Gente, é muito simples. TV tem controle remoto. O mais pobre brasileiro hoje tem em casa uma TV com no mínimo 30 canais abertos. Nao gosta de uma emissora? é só mudar de canal. Eu mesmo não gosto da Globo nem da Record, nem do SBT, logo, não ligo nesses canais. Simples assim. Agora, agredir pessoas trabalhando nas ruas é covardia.
Zoio de Zoiar 20 de maio, 2020 | 21:57
A que ponto chegou a ignorância humana. Alienação tanto com Lula, quanto para Bolsonaro. O Mundo derrete em pandemia e o Brasil discutindo Lula e Bolsonaro. Dois políticos sujos e oportunista. O cara só estava trabalhando e pronto.
Shesheu 20 de maio, 2020 | 19:12
Tem de apurar o fato e ter uma punição exemplar! Tá virando moda as pessoas que tem uma opinião politica diferente, serem agredidas! O Brasil é um país democrático e cada um que faça suas escolhas!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO